Falar Televisão

Mas que triste filme

E, pronto, a moda pegou mesmo. A fraca promoção, aliada ao horário ingrato ditaram a “engavetagem” dos Filmes TVI. Por muito que os fãs, onde me incluo, não quisessem, o canal de Queluz de Baixo já mostrou que a melhor solução, agora, passa por trocar as noites de sábado da estação.

Contra todas as expetativas, os Telefilmes do canal dirigido por José Fragoso, que estiveram na gaveta durante o último trimestre de 2011 e eram a grande aposta da estação para este primeiro semestre de 2012 voltaram à posição que tinham anteriormente. Estranho? Muito. Então não foi o dirigente da TVI que disse, na apresentação, que este tipo de formatos tinha tudo para ser um sucesso?

Quem há muito vê a ficção com o selo de Queluz de Baixo bem sabe que, seja que tipo de formato de ficção for, desde que não seja telenovela, o sucesso vai ser difícil de alcançar. E a pergunta mais curiosa é mesmo “porquê”? Como é possível que a estação que os atores com “mais nome” tem, que mais experiência defende possuir, não consiga fazer com que os seus telespetadores sigam outros produtos que não telenovelas? Já aconteceu no passado, com o exemplo das minisséries, e agora volta a dar nas vistas.

Quanto a mim, é uma tristeza que tal aconteça. Mas há alguns dados a retirar daqui. O público da TVI ainda não está “educado” para ver outras realidades que não novelas. E o publico que está educado para este outro tipo de formato, não está educado a ver a TVI. Falta aqui estratégia e nem mesmo a aposta em atores conhecidos, argumentistas de renome ajudou.

E é por isso que hoje aqui estou a escrever. É uma pena que produtos com a qualidade deste tenham que ser remetidos para a gaveta, apenas e só pelas audiências menos altas do que seria de esperar. É uma pena que para os lados de Queluz se prefira colocar um filme estrangeiro no seu horário. Onde está a tão publicitada mensagem de que a TVI é a estação de todos os portugueses?

A terminar, uma última pergunta. Vão fazer o mesmo com a nova série de Francisco Moita Flores? Se for esse o objetivo, mais vale nem a começarem.

 

  • Anon

    O pior é que não é só na TVI. O público Português não está habituado a ver produtos de ficção sem ser novela. Coisa que eu não percebo. É provável que alguns não gostem, mas a mim parece-me é que os Portugueses acham que em Portugal só se sabe produzir novelas, o que não corresponde à realidade. Antes pelo contrário. Existem séries, mini-séries e filmes muito bons, que é o caso dos “Filmes TVI”. Contudo, como existe uma certa discriminação por parte dos Portugueses contra os produtos de ficção Portugueses, estes não se dão ao trabalho de ver esses produtos, pois estão já com a ideia, mesmo antes de ver, que esse produtos em questão não são de qualidade. E o pior é que muitos são! 

  • -.-

    Para mim só houve um produto de ficção de grande qualidade e que foi bem aceite! EQUADOR!

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close