Falar Televisão

Manuel Ferreira e Cristina Luís Goucha

Falar_Televisao 2012

Falar_Televisao 2012Enquanto somos crianças a nossa vida é recheada de alegria, boa disposição e jovialidade, tal como as nossas manhãs, manhãs de velhos, de adultos, de jovens, de crianças. Manhãs que nos fazem ressuscitar e reviver a nossa infância. Aliás, manhãs que nos fazem ressuscitar e VIVER a nossa infância, porque a infância é a época em que os caleidoscópios que são os nossos olhos nos permitem ver com toda a pulcritude, cor e magia o mundo de algodão doce, por vezes salpicado de consideráveis grãos de sal, em que vivemos.

E porque são as nossas manhãs assim? Pelo menos: porque serão as minhas manhãs assim? Porque eu assisto diariamente a um programa feito por pessoas cujo sonho pela televisão falou mais alto, apresentado por Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira, uma dupla como não há igual, ambos apresentadores à qual a frase de

Edgar Allan Poe, «Para se ser feliz até um certo ponto é preciso ter-se sofrido até esse mesmo ponto.» assentaria como o sapato de cristal à Cinderela.

Esta dupla, que já vários prémios arrecadou e que já lidera (não só de segunda a sexta) há vários anos, está junta há 9 anos. Nove anos a animar as manhãs de milhares de portugueses e a fazer televisão da forma que se deve fazer: com dedicação, com entrega incondicional, e com, no caso das duplas, os não tão regulares quanto gostaria «3 C´s» – camaradagem, companheirismo e cumplicidade. Cristina Ferreira e Manuel Luís Goucha são um verdadeiro exemplo do que é existir UM cérebro a comandar o programa e um modelo do que é quase que transcendental: ler o pensamento um do outro no momento certo e comunicar com os telespectadores, e não pronunciar meras palavras que vão passando, a rapidez perfeitamente mutável, no teleponto.

Você na TV é um programa que privilegia a cumplicidade, mas também que abre espaço à indiscutível diversidade, notória nas diferentes temáticas e rubricas constituintes do programa, tais como os Consultório Feminino e Masculino, que contam com a participação de Sílvia Roque e Paulo Guimarães, respetivamente, as Dicas do Chef e da Semana, com o prestigiado Chefe Hernâni Ermida, os habituais comentários da atualidade criminal do nosso país, por António Teixeira e Manuel Rodrigues, ou até as recorrentes mudanças de visual proporcionadas por Patrícia Pereira.

Provavelmente se a «apresentadeira da malveira», como se intitula, ou o apresentador que queria ser famoso em criança, encarnasse na mente genial, engenhosa, quase que alienada, de Filipe La Féria diria «O Público é o meu subsídio», uma expressão várias vezes referida pelo encenador.

No seguimento do meu raciocínio, e já que falamos sobre subsídios e salários, com certeza que o salário de ambos os apresentadores contará, para de uma confortável enumeração de dígitos, com uma boa dose de generosidade por parte da produção, no entanto, e porque os maus apresentadores são como o ananás enlatado, que até poderá permanecer bonito e intacto durante anos, mas depois de ser tirado da embalagem bastam poucos minutos para se apresentar feio, disforme, podre – pronto para deitar para o lixo e esquecer; acredito que não são as capas de revistas que lhe fazem o dia, mas sim o carinho do público, o calor dos aplausos silenciosos que não passam através da televisão, o amor à profissão e o prazer (ou melhor dizendo «gosto», porque, como Manuel Luís Goucha diria: «prazer é outra coisa») de todos os dias nos fazerem realmente estar na TV.

  • Luis

    Não é Manuel Ferreira, mas sim Cristina Ferreira

    • João

      alguém não percebeu alguma coisa… (trocadilho propositado, Luís!)

    • Mim

      Não me digas…

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close