Falar Televisão

Golpe de criatividade

A SIC Notícias mostrou hoje, mais uma vez, porque foi, até há bem pouco tempo, líder contínua do Cabo, e porque permanece, ainda agora, na liderança dos canais informativos nacionais. Na tarde de hoje, o canal de notícias de Carnaxide exibiu o telefilme de 1999 Hora da Liberdade, produzido pela SIC, na altura, pelo mentor Emídio Rangel.

Mas enquanto este especial, que ocupou a primeira metade da tarde deste 25 de abril, destacou-se positivamente pela diferenciação do canal de notícias para com os concorrentes da RTP e TVI, a mesma menção não pode ser destacada no que toca ao teor do que foi apresentado ao início desta tarde. Não que a Hora da Liberdade seja um mau documentário, antes pelo contrário, foi uma reconstituição muito bem concebida dos desenvolvimentos da revolução história portuguesa, mas a verdade é que, desde 1999, o universo SIC apenas se limita a impor sucessivas reposições deste telefilme.

Sinceramente, e quando caminhamos a passos largos para os 40 anos da “revolução dos cravos”, não só a SIC, mas, em especial, as estações privadas deviam seguir o que a televisão pública tem feito de forma mais competente no que toca a séries documentais e produtos de ficção em torno deste episódio marcante na história do nosso país.

Quando o, vulgo, povo se enche a gritar de que é preciso um novo 25 de abril, eu cá não sei se será preciso um novo golpe de Estado mas, pelo menos, um golpe de criatividade nas operadores nacionais, isso sim, é bem preciso.

Tags

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close