Falar Televisão

Fazer render o peixe até cansar

O tema do “Falar Televisão” de hoje não será, certamente, novo para ninguém. De facto, na noite de ontem terminaram dois dos ‘grandes’ formatos dos últimos meses da televisão portuguesa. Claramente, cada um deles em diferentes estágios de cansaço. «Ídolos» já passou a fase do ‘fazer render o peixe’, visto que já não rendeu nada, embora seja importante reconhecer algumas qualidades ao formato. Enquanto isso, «A Tua Cara Não Me É Estranha» já rendeu muito peixe e vai continuar a render, ou não fosse um dos formatos com maior sucesso dos últimos anos e também com algumas potencialidades. Se já cansa? Também já cansa, e não é pouco. Felizmente, iniciaram-se as nossas férias de ambos.

A verdade é que os portugueses parecem não estar cansados destes bonecos criados na TVI, mas já muito cansados dos jovens do «Ídolos». Faz sentido, até pelo círculo mediático que envolve ambos, mas também pelo talent show da SIC ter tido talvez um dos castings menos brilhantes das cinco edições. Também o júri revelou algum cansaço, embora seja de louvar o esforço de alguns dos seus elementos, assim como os apresentadores – João Manzarra e Cláudia Vieira – que (in) felizmente não revelam grande disponibilidade para regressar ao formato.

Dito isto, a TVI anda a preparar-se para esgotar «A Tua Cara Não Me É Estranha» como a SIC fez com «Ídolos». Do meu ponto de vista é necessária uma grande renovação naquele formato de Queluz de Baixo, que se prepara para regressar dentro de não muito tempo. Alexandra Lencastre e José Carlos Pereira precisam de ir a um psicólogo, visto que não é normal juntar toda aquela emoção quando se ouve cantar, a não ser que seja de dor. É possível que seja apenas show off das suas capacidades de representação. Adiante.

Em suma, honestamente esperava que a TVI já tivesse aprendido, assim como a SIC, com estes erros. Esgotar um produto até à exaustão é suicídio. Se a marca TVI assegura resultados razoáveis de qualquer das formas, é bom que José Fragoso não durma à sombra da bananeira este verão, no sentido de não correr riscos desnecessários. É compreensível que se faça render o peixe, mas com limites, por favor.

  • Pedro

    Adorei a critica ! Especialmente a parte da Lencastre e do Pereira irem ao psicólogo 🙂

    • no-name

      Essa parte acho que era desnecessária. Acho que se pode comentar um assunto como este sem ”ofender as pessoas” e a ”mandá-las” para um psicologo. Na minha opinião, há pessoas mais sensíveis e outras menos! Só e apenas isso…

  • L

    «Quando se houve cantar»…
    Para além de irrelevante, é mais um artigo mal escrito, incluindo até pérolas destas.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close