Falar Televisão

Fama, por quanto tempo?

Seja bem-vindo a mais um Falar Televisão. Hoje falo-vos do que acontece depois da fama e do reconhecimento criados por diversos talent-shows, como é o caso de Ídolos ou Família Superstar, ambos transmitidos pela SIC. Está prestes a estrear a quinta temporada do programa do canal de Carnaxide e vale a pena refletir sobre este fenómeno. A ilusão entre os mais novos é cada vez maior.

Quase todos os nomes que aqui vou referir saíram de programas da estação de Francisco Pinto Balsemão. É o caso de Filipa Azevedo que venceu em 2007, juntamente com a sua mãe, o programa Família Superstar, apresentado por Bárbara Guimarães. Logo após essa vitória gravou um CD com músicas originais, mas que acabaram por não convencer o público. Em 2010 participou no Festival RTP da Canção, acabando por vencer. Representou, dessa forma, Portugal em Oslo no Festival Eurovisão da Canção com o tema Há Dias Assim, escrito por Augusto Madureira. Atualmente, segundo informações da imprensa, trabalha num centro comercial, no Norte do país.

O caso mais conhecido é provavelmente o de Luciana Abreu. Concorreu à segunda edição de Ídolos, alcançou o sexto lugar do concurso. Em Maio de 2005 representou o nosso país em Kiev, no Festival Eurovisão da Canção, juntamente com Rui Drummond, com o tema Amar. Um tempo depois foi a escolhida para protagonizar a novela Floribella, na SIC. Aí ganhou todo o seu reconhecimento, ficando conhecida como a grande estrela do mundo infantil em Portugal, com mais de 200 mil discos vendidos.  Em 2008/2009 apresentou o programa Lucy, dedicado aos mais novos. A partir daí o trabalho e as aparições públicas foram diminuindo. A sua vida pessoal ganhou uma grande visibilidade depois de ter sido mãe pela primeira vez.

Sérgio Lucas foi o grande vencedor da segunda temporada de Ídolos. Fez, ao longo de muito tempo, participações especiais no programa Fátima, onde interpretava, enquanto coro, variados temas musicais. Participou em diversos espetáculos e peças de teatro, tem três discos no mercado e chegou também a lançar um livro de poesia. No ano passado fez parte do programa Chamar a Música, da SIC, enquanto coro. Depois disto, pouco ou nada se tem sabido deste grande interprete português.

Débora Gonçalves também saiu do talent-show da SIC. Marcou presença, depois disso, em diversas galas da RTP, SIC e TVI. Fez uma participação especial no tema Sentir Tão Bem de Boss AC. Foi back-vocal no programa Dá-me Música da RTP e é também back-vocal dos Anjos. Concorreu, muito recentemente, ao programa da RTP A Voz de Portugal, tendo sido eliminada na passada gala, conseguido ficar entre os três melhores do seu mentor.

Estes são quatro grandes exemplos do resultado da fama produzida em programas de televisão, fama essa que tão depressa aparece como desaparece. Por vezes alguns destes jovens vêm-se iludidos pelo reconhecimento e, nesse sentido, é importante alertar para a influência deste tipo de programas nas sociedades mais jovens. É importante que, quem decida participar nestes formatos, tenha um bom sentido de responsabilidade conciliada com boas bases e esteja longe de ilusões, para que consigam aproveitar o momento e tirar dele o maior partido possível por forma a se lançarem no mundo do espetáculo. Tendo em conta que são confrontados repentinamente por todo esse reconhecimento, acabam por se iludir e deixar para trás ou lutar de forma errada por um sonho que há muito era alimentado.

Muitos dos exemplos referidos são de sucesso pois souberam gerir a sua carreia e tirar um partido saudável do reconhecimento adquirido, mas nem sempre é assim. Nas centenas de concorrentes, apenas alguns se destacam, fazendo sucesso nesse universo.

Continuaremos a assistir à «produção» de talentos nestes formatos, acabando, a sua maioria, por ficarem esquecidos e fechados na gaveta. No entanto, estaremos prestes a assistir ao nascimento de mais uma pequena grande estrela como aconteceu no passado?

  • Anon

    Concordo!!! E o pior é que alguns desses “famosos de 15 dias” têm mesmo talento. Alguns têm talento que nem é dado a conhecer de uma forma total. É o caso da Luciana Abreu. Toda a gente sabia que ela cantava bem. Contudo, pouca gente sabia que ela tinha o poder vocal que têm e que foi dado a conhecer na segunda gala do programa “A Tua Cara Não Me É Estranha”. Talvez por um mau aconselhamento profissional, pois considero que o caminho que ela seguiu não foi o melhor. Contudo, a vida sorriu-lhe e o marido ficou num clube de futebol português, o que lhe permitiu permanecer no nosso país depois de ter mostrado o seu grande talento no programa referido. Tenho a certeza que, depois de dar à luz a sua segunda filha e de ter o merecido período pós-parto, a Luciana vai ter a sorte de poder voltar a apostar na sua carreira e de poder escolher o melhor caminho a seguir. Talvez vá ter um melhor aconselhamento profissional. É uma segunda oportunidade que a vida deu a Luciana Abreu!! E espero que ela siga por um lado mais pop, como grandes monstros do panorama musical mundial.Como ela há outros exemplos de talento desperdiçado. Em vez disso, temos Fanny’s, Zé Cabra’s e outros sem talento a gravar singles e CD’s. 

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close