Falar Televisão

Entretenimento ou Desalento?

Penso já ter falado sobre este tema, mas visto que o panorama televisivo português pode estar a mudar (ou aparentar mudar), e que importamos cada vez mais formatos de entretenimento internacionais, vou voltar ao assunto.

O “insólito” é um tipo de programação que está a crescer nos Estados Unidos. Deixo claro que não existe uma categoria de programa com este nome específico, mas é a minha forma de clarificar o tipo de programa a que me refiro. Não me refiro a género (reality-shows, etc.), mas a uma linha de características semelhantes que percorre determinados programas.

Jersey Shore terá sido talvez um dos percursores desta característica. As aventuras já bastante conhecidas do grupo ítalo-americano em New Jersey, EUA, trouxeram à televisão o fator insólito e de espanto, do que é fora do comum. Além disso, fizeram as televisões perceber que uma nova onda de programas poderia dar audiência, pelo fator ‘estranheza’.

Hoarders, OCD Project, My Strange Addiction e mais recentemente, Virgin Diaries, representam a próxima vaga de programas.

Hoarders é um programa case-by-case à semelhança de My Strange Addiction, ou seja, cada episódio mostra um ou mais casos de diferentes pessoas, com mini-apresentações.

O primeiro, explora a casa de pessoas que têm por hábito juntar um absurdo de coisas, ao ponto de não se conseguirem muitas vezes movimentar lá dentro (desde refrigerantes, livros, lixo e outras coisas que não valem a pena ser mencionadas); o segundo, mostra o dia-a-dia de pessoas com hábitos estranhos: uma mulher que dorme com o secador ligado ao lado, outra que adora comer papel higiénico, entre outros).

O OCD Project, apesar do cariz mais sério, não deixa de fazer parte da mesma categoria. Um grupo de pacientes com perturbações obsessivo-compulsivas junta-se numa casa com um psiquiatra de renome e ao longo de algum tempo, trabalham em conjunto para serem curados. Claro que o fator insólito entra na tipologia das perturbações, que passam pelo “comum” lavar de mãos frequente, até à paciente que pensa que atropela alguém se for conduzir (independentemente da velocidade, ou se está ou não alguém na rua).

Já o Virgin Diaries estreou há pouco tempo e conta a vida de casais que resolveram guardar-se para o casamento. Muitos até resolvem guardar o primeiro beijo, o que dá um resultado engraçado.

Estes programas primam pelo fator do insólito, como referi, e de suscitarem conversas. São viciantes, até esgotarem a fórmula. Poderão “visitar” a televisão portuguesa em breve? Talvez não tão cedo, enquanto programas como Secret Story ainda suscitarem polémicas. Talvez quando o público se fartar do mesmo tipo, então estes programas tenham um lugar nos nossos canais.

  • Anónimo

    Acho que ainda há muitos géneros de programas a percorrer para esses programas insólitos entrarem em Portugal. É que esses programas são mesmo estranhos e até eu acho que não têm piada nenhuma e não me suscitou qualquer interesse. Mas isto é à primeira vista, se calhar até vou gostar do género.  

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close