Falar Televisão

E se fossemos nós?

O ano está a terminar, assim como tantos outros ciclos na televisão. A segunda temporada de Peso Pesado é um deles. Para os fãs dos reality show da estação de Carnaxide, a expulsão de Ivo foi um ato de justiça em relação aos restantes concorrentes. Depois de uma primeira edição sem problemas, e de muitos dos telespetadores acompanharem The Biggest Loser na SIC Mulher sem a presença de concorrentes que recorram a um plano B na altura de perder peso, a atitude do jovem de 22 anos leva-nos a tecer algumas considerações.

A primeira prende-se, obviamente, com a pressão que os participantes deste tipo de concursos sentem e sofrem para atingir um objetivo difícil de alcançar. Por outro lado, as metas tendem a ser, em alguns casos, praticamente impossíveis, sendo que quando não são atingidas causam sentimentos de tristeza e frustração.

Para os telespetadores estas são questões que não merecem a pena serem discutidas. No entanto, talvez o interesse esteja precisamente na forma como cada um de nós está habituado a lidar com falhas, erros, insucessos. Ivo foi apenas um dos casos, contudo, quem sabe se na pele dele não poderia estar um de nós?

“Nunca digas nunca” ou “nunca digas que desta água não beberei”, são alguns dos adágios populares que frequentemente me transmitem. Quem sabe se, também nós, tendo por base o nosso estado físico e psicológico, não recorreríamos aos comprimidos consumidos por Ivo?

Esse comportamento, por mais negativo e injusto que seja, pode incluir anos e anos de gozos, críticas, brincadeiras sem piada. Numa atitude de conseguir, pela primeira vez, ser melhor do que alguém, o jovem preferiu seguir um caminho errado e mais fácil. Enganou-se.

Quem somos nós, telespetadores, para o julgarmos? Sim, não cumpriu as regras do concurso e mereceu ser expulso da segunda temporada de Peso Pesado. No entanto, a pergunta coloca-se: e se fossemos nós que estivéssemos na sua pele?

  • Anónimo

    “Se fossemos nós que estivéssemos na sua pele?” A minha resposta: Se fosse eu, jamais faria tal erro. Nunca! Por muita pressão que me fizessem, jamais falhava com um contrato que assinei. E mesmo que o fizesse merecia ser castigado como ele foi. Não vejo o programa referido, mas percebi o assunto a partir deste artigo. 

  • Diogo Santos

    Claro Anónimo. A questão que coloquei no fórum passa também pela própria produção de “Peso Pesado”. Existindo um psicólogo, ele deveria analisar bem o que iria na cabeça de Ivo. A falha não foi só de um lado, de certeza. Daí, tentar colocar o leitor na pele de um concorrente, e perceber de que forma iria agir. O castigo foi merecido, sem dúvida.

    Diogo Santos

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close