Falar Televisão Rubricas

Diversidade pública

Falar_Televisao 2012

Falar_Televisao 2012

Nunca vi tanta RTP1 como agora. Tem sido uma coisa por demais. A imagem, a programação e a diversidade têm sido os pontos-chave que me levam a ver a estação pública que há muito tinha deixado para trás, dando lugar às privadas e ao cabo na minha televisão.

Talk shows, programas de informação e de infotainment, séries e muito mais. A estação pública tem apostado forte na diversidade. Por vezes, o tiro não é certeiro mas anda lá perto. A começar pelo Telejornal + 360º – apesar do grafismo que detesto, o conteúdo do principal bloco informativo é três vezes melhor que o das privadas – Bem-vindos a Beirais – com alguns pontos fracos mas em relação a Sinais de Vida, que não gostei, noto uma melhoria significativa -, Portugueses Pelo Mundo, 5 Para a Meia-Noite, Ler + Ler Melhor, entre outros. Estes são alguns dos programas que mais assisto no nosso canal público, nem sempre com a assiduidade que queria mas vou tentando.

No dia em que a Grécia encerra os três canais e rádios públicos, começo a pensar: o que seria da TV portuguesa sem a RTP1? As audiências há muito que não determinam a qualidade do produtos nem a diversidade das estação de televisão, por isso, posso dizer que, num conjunto, a RTP1 está muito melhor que há um ano atrás. A diferença e a variedade, comparando diretamente com as suas concorrentes, é bem melhor. O day time de segunda à sexta precisa de uns ajustes. Mais um retoque aqui, outro ali.

Depois é preciso consolidar. Trabalhar anos após ano até que os portugueses reconheçam o valor do nosso canal de televisão. Até porque é a nossa imagem de marca, e é ele que nos representa.

  • Marcos Teixeira

    viva rtp!11

  • Trademark

    Discordo em absoluto. Aliás, não em absoluto, porque o “Ler + Ler Melhor” é realmente um programa de saudar, mas quase todo o restante leque de programas da RTP é de fraquíssima qualidade. Até o “5 para a Meia-Noite”, que costumava ser um excelente programa (particularmente quando passava na RTP2) se tornou um programa monótono e geralmente insípido. Só uma revolução salva a estação pública.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close