Falar Televisão

Dias Dançantes na SIC

É certo e sabido que «Dancin’ Days» tem vindo a destronar (ainda que timidamente) a sua principal concorrente, de seu nome «Louco Amor». Apesar de não acompanhar assiduamente nenhuma das novelas referidas, tenho que destacar aqui que, em termos de qualidade e inovação, a novela da SIC ganha fortemente em comparação à novela da TVI.

Não sou a favor de comparações, cada qual é como é. Mas já é tempo de, em Queluz de Baixo, entenderem de uma vez por todas que a frase “em apostas ganhas não se mexe” não dura eternamente. Ao longo dos últimos (longos) anos, as novelas da TVI têm dado grandes alegrias à casa, mantendo-se sempre num nível superior de audiências. Contudo, os cartuchos gastam-se. É necessário recorrer a inovação, a novos métodos de conquistar o telespectador. É o telespectador que dá audiências. É o telespectador que também muda de hábitos e torna-se mais exigente. É com o “telespectador” que se devem preocupar. Não com as audiências. Mas isso é demasiadamente óbvio para se estar aqui a debater.

Agora, generalizando… se repararmos bem, as “tramas” da TVI são quase todas idênticas em termos de conteúdo. E, no que toca ao visual das personagens, bem… então é melhor nem comentar. Nos últimos tempos, pouco ou nada se tem investido no visual das personagens. Existem atores que transitam de uma novela para outra e nada mudou/alterou. Chego a pensar seriamente se não estarei a ver a mesma novela. A gravidade da situação é que parece que ninguém repara nestes erros mais que “batidos” e erros do passado continuam a ser erros do futuro.

Voltando ao tema de destaque, a guerra «Dancin’ Days» vs «Louco Amor» – há que admitir que a SIC começa a dar finalmente sinais de que pode triunfar no mundo dos enredos. Ainda assim há coisas menos boas a apontar neste remake da Globo: quem é que acredita que a personagem de Joana Santos é mesmo a mãe de uma miúda… quase da sua idade? Ainda por cima, Joana Santos que ainda tem alguma ligação a projetos como «Rebelde Way» e «Laços de Sangue». Não duvido do talento da atriz, mas que foi uma péssima escolha para aquele papel, foi. Ou então que tivesse uma filha de 5, 6, 7 anos. Mas, de qualquer forma (e sem transparecer “fanatismo” pela SIC), considero que esta estação está no bom caminho, em termos de ficção. Já a TVI…

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close