Falar Televisão

A revolução de Hugo

Falar_Televisao 2012

Falar_Televisao 2012

14 de Janeiro de 2013 vai ser um dos dias em que a RTP1 vai mudar radicalmente a programação, com escolhas acertadas e erradas, com «Quem Pensas que és?», «Não Me Sai da Cabeça», e da nova duração do «Telejornal» do lado verde e o novo dia do «Prós e Contras» claramente no vermelho.

Andava hoje a dar uma vista de olhos pelas plataformas do A Televisão e dei de caras com uma chamada de atenção de um leitor para uma alteração na grelha da nova da RTP1 – nem um dia depois da sua apresentação – a informação dava conta de que a novela «Eram Seis» já não ia para o horário das 14 e que seria substituída pela reposição de «Velhos Amigos».  Confirmada que está a alteração, não deixa de ser irónico, que numa grelha anunciada como tendo mais estabilidade, nem um dia passou (na altura) e já havia uma alteração de programas e logo num horário em que a RTP1 costuma ter bons valores. Não sei como se vai comportar em audiências, mas sei que a série já foi reposta e não teve grandes valores, para que fazê-lo de novo nesta altura?

Da avalanche de estreias a caminho, o que mais me desilude é o programa de Catarina Furtado, uma mistura de programas similares da concorrência mas com anónimos. Preferia que tivesse havido mais criatividade na escolha do programa de sábado à noite. Um regresso de «A Voz de Portugal» era uma óptima escolha, mas à falta de orçamento, um concurso de cultura geral não seria seguramente mal pensado, principalmente agora, que desaparecem do horário nobre e ficam confinados ao «Preço Certo» de Fernando Mendes.

Na informação, vai finalmente chegar, o desde outubro anunciado e tão aguardado, «Telejornal» de 40 a 45 minutos. Mesmo não sendo o pior dos casos – as privadas levam o “essencial da informação” a ter uma duração de 1h20-1h40 (!) -, é preferível sintetizar e não encher o noticiário de futilidades. Afinal, quase 80% da população tem televisão por subscrição (e com isso acesso a 5 canais de informação portugueses e muitos internacionais) , e acesso à Internet, o meio mais utilizado na busca de informação. Tudo junto, acaba por tornar inútil o modelo de noticiário das privadas (e da própria RTP no «Jornal da Tarde»). O único ponto negativo na informação é a passagem do «Prós e Contras» para o domingo. Não é preciso ter o dom da futurologia para saber que o programa vai ser completamente arrasado pela concorrência fortíssima de «A Tua Cara Não me é Estranha» e «Vale Tudo». Gostava de estar enganado, mas não me parece, até porque os resultados que conseguia à segunda-feira não deixam muita margem para dúvidas.

Todas as novidades serão acompanhadas de uma nova identidade do canal. A melhor que vi em Portugal e das melhores a nível europeu. A isto ainda há-que acrescentar o passo importante que se dá ao avançar em definitivo para o 16:9. Um formato que lá fora já nem se discute a aplicação, e por cá, teima-se a não aceitar a evolução, mesmo que no cabo seja uma realidade e cada vez mais uma banalidade.

Quanto à RTP1, tudo isto ainda é pouco, afinal foi só a apresentação da nova grelha, e as primeiras avaliações só podem fazer com a nova RTP1 no ar. Mas uma coisa é certa, esta revolução tem tudo para correr mal, mas também tudo para correr bem, afinal, mal está a RTP1 há tempo de mais.

  • Daniel Marques

    Isso de mudar para 16:9 não fica caro? As televisões veem-se à rasca para subreviver e mudar agora deve ser algo impensável.

    • piloto

      Penso que não, penso que só tiveram que actualizar o equipamento de filmagem, e isso já foi feito há muito tempo.
      E gosto desta nova grelha, tem quase tudo para ter bons resultados, mas já se sabe que os portugueses só vêm novelas e SS.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close