Falar Televisão

11 de Setembro de 2011

No próximo domingo consagram-se os dez anos, após um dos maiores atentados terroristas de todos os tempos. O 11 de Setembro ficará para sempre na memória de todos os americanos, os nova-iorquinos em particular, que viram o seu país ser atacado de uma forma arrasadora. Sem nada que pudessem fazer, o mundo inteiro viu as torres mais célebres e altas da cidade que nunca dorme caírem a seus pés, matando milhares e milhares de pessoas. O pânico instaurou-se no país e arrastou-se por todo o mundo, vendo uma das nações com maiores políticas de segurança ser arrasada.

Por todo o mundo a notícia se espalhou e ocupou a grelha informativa de tantas estações de televisão quanto aquelas que existem e, dez anos depois, o pesaroso acontecimento que vitimou milhares de pessoas, marca ainda a atualidade informativa. De forma a as0sinalar a data que em todo o mundo se recorda, a TVI fará uma emissão especial dos blocos informativos a partir de Nova Iorque, com Pedro Pinto e Júlio Magalhães, onde se discutirão alguns assuntos ligados à grande temática do 11 de Setembro. Da mesma forma a RTP1 fará emissão em direto a partir do Ground Zero para relembrar este que foi o mais catastrófico atentado aos E.U.A.

O que a crónica desta quinta-feira pretende debater é o papel da televisão e da comunicação social neste tipo de acontecimentos históricos. É, sem qualquer dúvida inerente, função de qualquer televisão pública ou privada, informar os telespetadores. Conciliar a informação ao debate e discussão cívica do assunto é já não uma função, mas uma qualidade de um bom serviço noticioso de televisão. Há que discutir de forma séria este tipo de conteúdo e perceber que a televisão serve também para educar, civicamente, todos aqueles que a assistem.

Um acontecimento como o atentado de 11 de Setembro de 2001, merece qualquer discussão pública que seja feita acerca da sua projecção mundial, assim como das suas causas e consequências. É necessário perceber o que se passa à nossa volta e por esse mundo fora, é preciso rigor, credibilidade e consistência nos debates que se elaboram, é preciso televisão de qualidade.

E você? Concorda com o mediatismo e com a importância que é dada, dez anos depois, a este tipo de acontecimento? Relembrar e discutir o “enredo” deste acontecimento é produtivo ou é só uma exploração do sofrimento e da tragédia que foi o 11 de Setembro?

 

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close