Estrelas na Terra

Raul Solnado

Hoje deixou-nos uma das figuras mais emblemáticas do teatro, televisão, comédia e do país, Raul Solnado morreu aos 79 anos, vítima de doença cardiovascular. Nesse sentido, o TVU junta-se a tantas outras homenagens que têm vindo a ser feitas ao longo do dia e que se prolongarão, com certeza, nos próximos dias, apresentando em retrospectiva a vida do actor, num Estrelas na Terra Especial.

Raul Solnado nasceu em Lisboa a 19 de Outubro de 1929 e é unanimemente reconhecido como um dos pais da comédia portuguesa, sendo uma referência para qualquer jovem actor, ainda que não da área humorística.

Estreou-se no teatro na Sociedade de Instrução Guilherme Cossoul (em 1947), sendo que nos anos seguintes se profissionaliza, integrando o elenco de diversas peças de teatro de revista, um dos estilos em que deixou a sua marca incontornável. Passa pelos Teatros Monumental, Avenida, Maria Vitória e em 1964 torna-se fundador do teatro Villaret, referindo humildemente na altura da inauguração que o seu projecto futuro seria “pagar o teatro”. Para além disso, foi até ao fim da sua vida director da Casa do Artista, que fundou juntamente com Armando Cortez.

Entretanto, a sua estreia televisiva com um programa próprio dá-se em 1969, com o programa de referência “Zip-Zip”, em que partilha a apresentação com os seus amigos Carlos Cruz e Fialho Gouveia. Seguem-se várias peças de teatro. Sendo que em 1977 regressa à televisão com “A Visita da Cornélia”, um programa de grande sucesso na altura e ainda hoje lembrado com saudade. “O Resto são Cantigas”, “Faz de Conta”, Lá em casa tudo bem”, e tantos outros programas fizeram com que Raul Solnado ganhasse notoriedade televisiva.

De facto, o curriculum do actor é tão extenso e vasto que qualquer referência aos seus trabalhos ficará sempre incompleta e aquém do seu real valor. Recentemente, o actor gravou aquele que o próprio afirmou ser o seu “último trabalho para televisão”, “As Divinas Comédias”, um documentário que revê a comédia em Portugal e a sua evolução ao longo dos anos.

Embora eu não tenha sido testemunha do seu sucesso (devido à minha faixa etária), julgo que Raul Solnado será sempre lembrado como uma referência do humor nacional, um homem bem formado, não recorrendo à comédia fácil ou brejeirice para provocar o riso nos espectadores e, a meu ver a sua célebre frase “Façam o favor de serem felizes” diz muito do seu carácter. Recordarei sobretudo o seu sorriso espontâneo e sincero, com uma boa disposição inabalável.

Hoje perdeu-se o humorista, (cantor,) actor, apresentador, mas sobretudo o homem. Raul Solnado não será, certamente, esquecido.

Até sempre!

Diana Casanova

«A minha vida foi uma vida muito louca e dura, mas saborosíssima. E com esta agitação toda o meu coração está preso por um fiozinho. Portanto, deixa-me ir descansar»
Raul Solnado
«Estranhamente a morte do Raul Solnado dá-me uma dupla sensação. É uma profunda tristeza fisicamente ficar longe de uma pessoa tão encantadora, mas ao mesmo tempo parece que quando as obras de arte são completas e têm três actos e acabam quando devem, parece quase que fazem sentido»
Herman José
«Raul Solnado foi sempre um dos artistas mais amados e mais admirados pelos portugueses; e, para várias gerações, foi também uma referência permanente com uma vida plena e intensamente dedicada à arte e à cultura»
José Sócrates

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close