Cine-Opinião

«Prometheus»

cine opiniao 2012

Depois de muita expectativa e especulação, a gestação, mais que longa, de «Prometheus» trouxe por fim, o fim dos mistérios e dúvidas. Sem nunca se assumir como uma prequela da magistral saga «Alien» que catapultou Sigourney Weaver no papel de ‘Ellen Ripley’, «Prometheus» alimenta-se de elementos familiares à colossal franquia. E é nesta falsa relação, que «Prometheus« se compromete, o filme não é nem a melhor das prequelas nem o melhor dos ‘thrillers’ que se assume com o seu argumento próprio.

O regresso de Ridley Scott à ficção científica e à franquia procura separa-se dos filmes que o trazem aqui, ricos em suspense e terror e procura vender uma filosofia sobre o inicio da Terra  sem nunca querer despertar uma discussão profunda, pois não existe em «Prometheus» qualquer revelação catártica. Embora bem conseguido, o filme nunca atinge a profundeza que ambicionava.

Em «Prometheus», acompanhamos a ‘Dra. Elizabeth Shaw’ (Noomi Rapace) e o ‘Dr. Charlie Holloway’ (Logan Marshall-Green) numa expedição ao espaço para conhecer a origem da vida humana. Os dois arqueólogos acreditam que uma civilização alienígena, chamada por eles de «Engenheiros», criou a vida na Terra. Após conseguirem o financiamento de ‘Peter Weyland’ (Guy Pearce), da ‘Weyland Corp.’ de «Alien»,  partem na nave «Prometheus» em busca da origem da nossa existência e de vida extraterrestre.

Como antagonista desta história temos a executiva ‘Meredith Vickers’ (Charlize Theron) que procura resultados mais práticos na viagem que a empresa dela financia e que bem está Charlize neste papel que lhe assenta como uma luva.

A primeira parte de «Prometheus» é quase passada a papel químico de «Alien», com uma ou outra protuberância, onde as personagens se confundem com os de «Alien»: a cientista corajosa e curiosa, o namorado, o cyborg inconstante, o empresário ávido de poder, os cépticos e destemidos.

Scott aproveita-se de uma produção e pós produção que não existiam nos anos 80 e usufrui dos elementos ao seu dispor para construir um filme cheio de talento e apelativo visualmente. Os cenários fabulosos e o extraordinário design aliados a um elenco bem escalado, onde Fassbender confirma o enorme ator que é.

Sem constituir um milagre do cinema, «Prometheus», descurando apenas alguns pormenores,  tens os seus momentos e o seu mérito. Onde somos brindados ,apesar dos rasgos de megalomania, com cenas coerentes e que fazem da história uma grande e emocionante aventura.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=MgF9zk_bIBg&feature=related]

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close