Cine-Opinião

«Paranormal Activity 4»

cine opiniao 2012

E foi com enorme ansiedade que 2012 trouxe o quarto filme da franquia de terror mais popular dos últimos anos «Paranormal Activity». A saga, herdeira do cada vez mais vulgar género , found foutage, que atingiu o auge da sua causa com «The Blair Witch Project» em 1999 e que hoje em dia se multiplica por esses enumeros pseudo-documentários de terror que deliciam os fãs.

No cinema atual as ideias originais já nascem predestinadas a terem de se desmembrar por trilogias ou sagas intermináveis, fenómeno que se estende também às comédias de sucessos nas bilheteiras. À semelhança de «Saw», também «Paranormal Activity» foi uma lufada de ar fresco e quatro filmes passados, o desgaste já se faz sentir, onde nenhum filme sobrevive por si só, onde tudo faz parte de um plano superior,  onde tudo é passageiro e poderá, ou não, ser explicado mais à frente.

«Paranormal Activity 4» não é nem tão bom como os anteriores nem pior, e apresenta inclusive algumas melhorias, sobretudo a inclusão da temática das redes sociais e os protagonistas jovens e divertidos que aqui e ali consegue falar diretamente com o espetador criando momentos de puro voyeurismo onde nos sentimos quase, porteiros de um prédio muito atarefado.

‘Alex’, interpretada por Kathryn Newton e o seu namorado são os protagonistas  de uma história que tem mesmo de fundo o panorama de uma sociedade da informação onde se partilha tudo online e onde a distância e saudade não têm lugar quando se está sempre ligado em rede.

«Depressa e bem, não há quem», já dizia o ditado que tantas e tantas vezes traz sempre sabedoria. É que como qualquer saga, feita a pensar nas receitas de bilheteira, também « Paranormal Activity 4» é vítima de um argumento previsível e que se contenta em lançar poucas pistas e a desvendar poucos mistérios, apostando apenas no clima de tensão, terreno onde de resto se move com mestria.

Sem nada de novo, «Paranormal Activity 4» joga pelo seguro e não deixará quem gosta de ficar colado ao acento de tanto medo defraudado.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close