Cine-Opinião

“Easy A”

O cinema não para e nós, como habitualmente, todas as semanas, analisamos um filme. Desta feita, vamos dar um parecer acerca do filme de 2011 Easy A (Ela é Fácil), em mais uma edição do Cine-Opinião. Vejamos a sua ficha técnica.

Título Original: Easy A
Personagem: Olive Penderghast
Atores: Penn Badgley, Amanda Bynes, Cam Gigandet, Aly Michalka, Dan Byrd, Lisa Kudrow
País de Origem: EUA
Género: Comédia / Romance
Tempo de Duração: 92 minutos
Site Oficial: http://www.sonypictures.com/homevideo/easya/
Direção: Will Gluck

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=KNbPnqyvItk]

Easy A conta a história de uma jovem adolescente , Olive (Emma Stone), que por ter algumas dificuldades em relacionar-se com o sexo oposto, entende que uma forma de o atrair é tornando-se “fácil”, acabando por entrar numa espiral em que já correm rumores de que faz sexo por dinheiro. Na realidade ela continua virgem, mas já todos no liceu a vêm como uma mulher fácil. Inclusivamente o seu amigo gay que lhe pede para ser o protagonista de um desses rumores que a jovem espalha, no sentido de “contrariar” as suas preferências sexuais.

Como comédia que é, Easy A tem momentos muito divertidos e que para quem procura um filme sem grande complexidade é, de facto, uma boa aposta. Porém, para os apreciadores de enredos surpreendentes e complexos, sem dúvida que esta comédia não é para eles. Na realidade, eu diria que este é um filme banal e previsível, com apenas alguns rasgos de comédia interessantes.

O elenco conta, entre outros, com atores como Lisa Kudrow (Friends), Thomas Haden Church (Spider Man 3) e Patricia Clarkson (Six Feet Under), que acabam por nos permitir concluir que não é por falta de atores de qualidade que desempenhem os seus papéis que o filme é previsível e tem os tabus que tem, mas sim o facto da história ser do mais previsível possível.

Easy A ganhou alguma popularidade, na altura da sua exibição, por ser protagonizado por Emma Stone, mas do meu ponto de vista achei que o seu desempenho em Crazy, Stupid, Love (um filme substancialmente mais rico) foi melhor conseguido. Bem, também o enredo era outro e não tinha de fazer de miúda adolescente com ideias idiotas, passo a redundância.

Em suma, o típico filme de fim de semana à tarde na televisão portuguesa. Para aqueles que procuram apenas uma hora e meia de boa disposição e clichés, esta é uma aposta acertada. Para os outros, é melhor escolherem outro filme.

O Cine-Opinião volta para a semana. Até lá!

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close