Audimetria Semanal

Audimetria Semanal – 23ª Edição

Boa noite. Seja bem-vindo à vigésima terceira edição da Audimetria Semanal. Fique com os principais destaques audiométricos na sua rubrica de eleição!

Na Mó de Cima – Futebol

Foi no dia 28, último sábado de Agosto, que a TVI conseguiu ser o canal mais visto. As suas mudanças na programação surtiram efeito, e só o futebol saiu a ganhar.
À excepção de Vamos à Bola, Jornal da Uma, e da repetição do episódio de Morangos com Açúcar, cujos shares estiveram abaixo 22%, todos os restantes conteúdos da grelha de Queluz de Baixo estiveram à altura.
Os dois filmes emitidos portaram-se bem, principalmente o que foi para o ar a partir das 16:00 (Flicka), que chegou aos 4,4% de rating e 29,5% de share.
O episódio inédito de Morangos com Açúcar conseguiu vencer, mas não alcançou um resultado razoável. 5,4% de audiência média e 27,2% de share, são valores baixos para a série de Queluz de Baixo.
Com esta fórmula, o futebol e o próprio Jornal Nacional acabaram por esmagar a concorrência. Se a partida entre o Benfica e o Vitória de Setúbal ultrapassou os 44% de share, o noticiário das 20:00 alcançou os 30,3%.
É caso para dizer: quando se realmente aposta na grelha de sábado, a TVI consegue vencer. No entanto, e até agora, só foi registada uma vitória. O que se passará no próximo sábado?

 

Salto Alto – Informação

Um acontecimento importante relacionado com o país ou mundo, gera sempre uma grande atenção por parte da televisão. A entrevista exclusiva de Carlos Queirós à SIC provou isso mesmo. Na terça-feira, o espaço Aqui & Agora obteve 13% de rating e 33,5% de share. O futebol move audiências, e ninguém quis perder o depoimento do treinador da selecção nacional sobre o mais recente escândalo em que está envolvido.
O mesmo se passou com o processo Casa Pia. Todas as televisões, independentemente da qualidade do seu trabalho, dedicaram uma grande parte da sua programação aos últimos acontecimentos sobre este caso.
Os resultados foram razoáveis. Enquanto a RTP1 ganhou de manhã, a SIC saiu-se melhor à tarde. Os noticiários da estação pública e de Carnaxide foram os mais vistos. Para trás ficou a TVI, que mais uma vez deu palavra a Manuela Moura Guedes, quando a jornalista afirmou que a informação do canal pelo qual deu a cara estava um “desastre”. O que fazer Júlio Magalhães?

Mina – O Dia do Regícidio

 

Apesar de ser uma repetição, os baixos resultados de O Dia do Regicídio não deixam de merecer uma reflexão. No dia da “estreia”, a série chegou aos 2,3% de audiência média e 8,1% de share. Se considerei este um valor substancialmente baixo, o segundo episódio nem sequer apareceu nos dez programas mais vistos do dia da RTP1. Sabendo que essa tabela foi terminada por Bom Dia Portugal com 2,2% de rating, isso apenas indica que o resultado da série da estação pública foi ainda mais baixo que o que foi alcançado no dia anterior. É pena.
Apesar de não ser espectador assíduo deste tipo de produções, aprecio que a estação pública as transmita. No entanto, terá sido este o timming perfeito para o fazer? Colocar a série no horário das 23.00, terá sido a melhor opção? Duvido.Quem perde são os telespectadores, a RTP, e o serviço público.
MMV – Minuto Mais Visto da Semana

Esta semana, o Minuto Mais Visto pertenceu à RTP1. A partida entre o Sporting de Braga e o Sevilha alcançou, às 21:24, do dia 28 de Agosto, 21,5% de audiência média e 53,9% de share.
Em segundo lugar ficou Espírito Indomável da TVI. No dia 23 do mês passado, a novela da estação de Queluz de Baixo conseguiu atingir os 17,5% de rating às 22:33.
Porque No Te Callas André Cerqueira?
 
Atirar farpas à concorrência é sempre um dos objectivos principais dos directores de programas das estações de televisão. Uns fazem-no de forma mais directa, outros não tanto. No entanto, achei curioso o facto de André Cerqueira ter falado de Passione e Meu Amor em relação à cooperação entre a SIC e a Globo para novelas.
“Para bom entendedor, meia palavra basta”, foi o adágio popular que sempre me ensinaram. Logo, não entendo a resposta do “homem-forte” de Queluz de Baixo: “A Globo é uma grande produtora, trabalhei lá 15 anos. Respeito-os, mas exijo o mesmo. Não aceito que cheguem aqui e achem que vão ensinar-nos a fazer novelas. Porque não vão. Passione faz 14% de share. A minha à mesma hora faz mais de 35…”.
Questiono eu agora: o objectivo da pergunta não teria como alvo a nova novela da SIC, Laços de Sangue, que resulta da parceria entre a SIC e Globo?
Se sim, não entendo o porquê de Cerqueira falar de Passione. As audiências provam o fracasso que é. Concordo. Tenho é dificuldade em perceber a razão de André Cerqueira ter preferido fazer a comparação dos números fáceis, acabando assim por não referir Laços de Sangue.

Uma pergunta a… Miguel Sousa Tavares


Uma das razões da saída de Miguel Sousa Tavares da SIC para a TVI terá sido a promessa da estação de Carnaxide em lançar um programa da sua autoria. Foi o que aconteceu. No entanto, Sinais de Fogo acabou por se revelar um autêntico fracasso.

Depois das férias, ficámos a saber que o mesmo já não volta. O que acontece a Miguel Sousa Tavares? Ao que parece, passará a comentar os principais acontecimentos do país e do mundo no Jornal da Noite às segundas-feiras. Pergunto eu: esse não era o papel que tinha no Jornal Nacional, e que preferiu rejeitar no ano passado?

Até para a semana!

Tags

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close