Audiências à Lupa

Audiências à Lupa: novembro 2011

audiencias_a_lupa

O décimo primeiro mês de 2011 trouxe algumas mudanças ao nível audiométrico, particularmente alterando tendências que se vinham verificando desde os meses anteriores. Vamos então olhar as Audiência à Lupa de novembro.

Atendendo aos resultados audiométricos apresentados no gráfico anterior, verificamos que a TVI tem conseguido revelar a sua força, em particular a força de Secret Story 2, face ao Cabo e às outras generalistas. Se a meio do ano e no verão havia algum equilíbrio entre a TVI e a SIC, o aproximar do final do ano e o regresso de Teresa Guilherme fez com que houvesse um distanciamento da estação de Queluz de Baixo em relação à SIC e RTP1. De facto, o fosso entre as generalistas é agora mais e podemos até dizer que existem duas ligas, a 1ª (com o Cabo e TVI) e a 2ª (RTP1 e SIC), a RTP2, essa continua na sua liga regional.

Apesar desta constatação, vemos que a RTP1 conseguiu superar a 1ª liga esporadicamente, fruto dos eventos desportivos que transmitiu. Como habitualmente, fica bem patente que o futebol é muito mais rentável na estação pública. Se a TVI deve continuar a investir em futebol? Tenho as minhas dúvidas, mas talvez seja antes uma forma de não oferecer esse trunfo à concorrência, embora traga alguma quebra face ao público que é o seu, que não revela interesse por esses programas.

A SIC é que tem vindo a registar uma tendência de quebra que nem a segunda emissão de Peso Pesado conseguiu contrariar. De facto, Bárbara Guimarães e estes Pesos Pesados não conseguiram cativar o público português, não por serem piores do que a primeira edição mas porque agora conta com uma concorrência de Peso – Secret Story 2 e a língua afiada de Teresa Guilherme.

Contudo, vejamos qual foi a evolução audimétrica dos fins de semana.

Assim, confirmamos aquilo que referimos relativamente a Secret Story 2 e Peso Pesado 2. Os segredos ganham aos gordos por uma larga margem. E a RTP1 consegue agora também competir com a SIC por melhores resultados aos sábados, fruto da estreia de A Voz de Portugal. Aos fins de semana verificamos que permanece a tendência de fosso entre Cabo, TVI e SIC, RTP1. A estação de Carnaxide fica cada vez mais próxima da estação pública, ou vice-versa. Ora, observemos, então, o quadro que sumaria estes valores do mês.

Verificamos, portanto, que a TVI e Cabo estão agora numa luta renhida pelo primeiro lugar da tabela de audiências, enquanto a SIC, essa, foi ultrapassada pela RTP1 que tem agora 2 pontos percentuais de diferença face à estação de Carnaxide. Esta tendência é particularmente evidente nos dias de semana, em que se regista até uma aproximação da RTP1 para com a TVI. Para além disso, importa também realçar o pico que a RTP1 registou de 35,1% de share e, pela negativa, os 14,6% registados pela SIC. Este valor é tão surpreendente quando assustador, pelo menos para aqueles que forem apreciadores do canal. Será que é este o futuro da SIC? Registar máximo de 23,1% em 30 dias? É pouco para um canal que já foi líder que precisa de uma reformulação em alguns horários, mas sobretudo de um produto forte e não os mesmos talento-shows de sempre. É preciso mais, porque a TVI, essa, continua de pedra e cal na liderança da televisão nacional, mas a RTP1 também não parece ceder. Mudanças, diversidade e programas fortes, são o que precisa a estação de Carnaxide. O que reservará dezembro para a SIC? Quanto a mim, a sua quebra vai acentuar-se, mas veremos, já esta 5ª feira, em mais um Audiências à Lupa. Até lá!

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close