A Voz de Portugal em Análise

A Voz de Portugal em análise (final)

A final d’A Voz de Portugal começou com uma magnífica atuação dos quatro finalistas com a música Somebody to Love, acompanhados de um coro muito especial, composto por ex-concorrentes. Catarina Furtado entrou deslumbrante no palco do talent show do primeiro canal, cumprimentando todos os telespetadores presentes no estúdio e em casa.

O alinhamento da gala

I

Ricardo Oliveira iniciou a final d’A Voz de Portugal com um tema de Elton John, Your Song. Tocando piano ao mesmo tempo que cantava, o ex-concorrente de Ídolos recebeu fortes elogios dos mentores. «Não precisas de ter dois metros de altura. Precisas de ser A Voz de Portugal», salientaram os Anjos. Seguiu-se Bianca Adrião, num dueto muito especial. Ao lado de Ben Saunders, o vencedor da versão holandesa do formato da RTP, a jovem provou o porquê de estar na final. Apesar disso, e de ter agradado o seu mentor, considerei mais uma vez os seus agudos exagerados. «Ainda bem que és única mulher. Estou confiante na vitória, já deste provas suficientes», referiu Paulo Gonzo. Denis Filipe deu a voz a Last Nite dos The Strokes, numa atuação repleta de energia. «O Denis tem uma questão muito boa. A parte da imagem também funciona. Dava um ídolo pop/rock!», confessou Nélson Rosado. Daniel Moreira atuou pela primeira vez nesta final com Luísa Sobral, interpretando Xico. Com uma cumplicidade evidente entre os dois músicos, o resultado foi interessante. «Tu realmente hoje foste fantástico. Cantaste com paixão e acho que as pessoas lá em casa perceberam isso. Tens um timbre único», salientou Mia Rose.

II 

A cantar Satisfaction, Bianca Adrião voltou a brilhar no palco d’A Voz de Portugal. Numa atuação muito própria, a concorrente demonstrou uma grande “satisfação” por marcar presença nesta final com uma prestação muito superior à anterior. «Tens uma voz inigualável. Mesmo que não passes, o país já ficou mais rico e alegre por ter uma voz como a tua!», confessou Paulo Gonzo. Depois de Daniel Moreira e Luísa Sobral, seguiu-se o dueto de Denis Filipe com Boss AC. Apesar de o dia de semana desta final acontecer num sábado, nunca uma Sexta-feira fez tanto sentido num 25 de fevereiro. Gostei da prestação do jovem, ritmada e alegre, num tema que tem percorrido as rádios nacionais. «Não consigo dizer que o Denis teve uma evolução enorme, porque ele já veio como um artista espetacular», afirmou Mia Rose. Daniel Moreira voltou a dar a voz a uma canção que o tornou conhecido por parte dos portugueses: The Blower’s Daughter.  Numa atuação repleta de sentimento, o concorrente captou a atenção de todos aqueles que o ouviam. Muito bom, mesmo! «Foste sempre empenhadíssimo. Parabéns!», referiu Paulo Gonzo. O Bom Feeling entrou nos estúdios d’A Voz de Portugal com a performance de Ricardo Oliveira e Sara Tavares. O finalista demonstrou a sua versatilidade ao cantar uma música portuguesa. Apesar de preferir que Ricardo Oliveira interprete outro tipo de canções, este Bom Feeling conjugado com um bonito “bater de pé” encheu-me as medidas. «É esta a magia que o Ricardo tem. Foi aquilo que ele estava a sentir. Foi o feeling do Ricardo», declarou Sérgio Rosado.

III

Depois de os concorrentes terem interpretado She, uma música de Elvis Costello, como forma de homenagem a Catarina Furtado, a apresentadora revelou qual dos concorrentes tinha ocupado o quarto lugar. A escolhida foi Bianca Adrião, numa altura em que Ricardo Oliveira se encontrava em primeiro lugar na preferência dos portugueses, seguido de Denis Filipe e, por fim, de Daniel Moreira. A jovem despediu-se dos palcos d’A Voz de Portugal com um tema de Tina Turner, Goldeneye.

IV

Depois de Catarina Furtado ter revelado que Daniel Moreira tinha ficado em terceiro lugar d’A Voz de Portugal, o cantou interpretou o single que gravou: Skinny Love, de Bon Iver. Mais uma vez o jovem conseguiu encher o estúdio de emoção e sentimento na sua despedida do palco do concurso da RTP.

V

Foi, a meu ver, uma das suas melhores atuações desde o início do talent show do primeiro canal. Dando um cunho pessoal a Crying, dos Aerosmith, Denis Filipe fez o que muitos cantores nunca conseguiriam na vida. Sem dúvida alguma que o concorrente surpreendeu e “deu tudo por tudo”, tal como afirmou Catarina Furtado.

Por fim, Ricardo Oliveira questionou os telespetadores sobre como é que ele poderia viver sem os mesmos. How I am supposed to live without you, de Michael Bolton, ganhou vida e sentimento na voz de Ricardo Oliveira. Uma atuação mágica que contagiou todos os que o ouviram.

[divider]

Terminadas todas as atuações, ouvidas todas as vozes, e depois de se ficar a conhecer o terceiro e quarto classificados d’A Voz de Portugal, chegou a vez de se divulgar o grande vencedor. Ei-lo:

Termina assim a aventura dos sábados à noite n’A Televisão na análise às galas d’A Voz de Portugal. Vemo-nos por aí!

Tags

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close