A Voz de Portugal em Análise

A Voz de Portugal em análise (7ª semana)

A sétima gala d’A Voz de Portugal teve inicio com uma atuação conjunta de todos os semi-finalistas do concurso. Interpretaram de forma exemplar o tema I Want You To Want Me da banda Cheap Tric. A apresentadora Catarina Furtado foi recebida, uma vez mais, de forma entusiástica e explicou a forma como irão ser escolhidos os finalistas. A votação, foi feita de forma diferente, isto é, cada mentor atribui um valor ao concorrente, valor esse que depois vai ser somado ao dado pelo público e assim serão encontrados os quatro finalistas. Resta ainda relembrar que esta gala ficou marcada também pelos duetos dos concorrentes de cada mentor. A equipa de Mia Rose, constituída por Salvador Seixas e Daniel Moreira, foram os primeiros a interpretar juntos o tema One Of Us de Joan Osborne. Depois das habituais saudações e apresentações, Joana Jorge abriu as atuações a solo da sétima gala. Nesta gala marcaram ainda presença os Amor Electro que se fizeram acompanhar de Salvador Seixas e Bianca Adrião.

A partir de agora ficará a conhecer tudo o que de importante se passou na semi-final d’A Voz de Portugal.

Sintonize-se, assim, com… A Voz de Portugal em análise!

As melhores Vozes 

Joana Jorge (Paulo Gonzo)

A concorrente foi a primeira a atuar numa gala cheia de boas interpretações e emoções à flor da pele. A participante interpretou um tema da famosa Pink – I Don’t Believe You. Com dotes vocais impressionantes, arrepiou todos os que ao vivo assistiram à sua atuação. O mentor, Paulo Gonzo disse: «Eu já estava constipado, mas agora ceguei com o teu brilho. Estou muito orgulhoso de ti».

Na minha opinião, e apesar de ter sido a primeira, a sétima gala d’A Voz de Portugal não podia ter começado da melhor maneira. Afinada e com um timbre muito característico, surpreendeu, mostrando uma Joana mais intimista e com um maior contacto com o público. Passou emoção.

Bianca Adrião (Paulo Gonzo)

Com a potência e a força na voz, Biana Adrião surpreendeu ao interpretar o tema The Show Must Go On dos Queen. Catarina Furtado disse, após esta atuação, que esta «foi uma estrela». A presença marcou e a voz fez-se ouvir com um tema bem conhecido do público. Sérgio Rosado, enquanto jurado, afirmou: «Via-te facilmente num musical fora do país».

Penso que esta foi uma atuação forte, com a junção de um trabalho vocal e de uma presença bilhantes.

Ricardo Oliveira (Anjos)

Este concorrente apresentou ao público e telespetadores uma interpretação muito própria do tema When A Men Loves A Woman de Percy Sledge. Com uma voz inconfundível, Ricardo Oliveira brilhou e cresceu em palco. Mostrou, ao longo de todo o programa uma evolução e isso fez-se notar nesta brilhante atuação. Colocação de voz, presença e sentimento ao rubro. «Em toda a Voz de Portugal não houve uma vez que não me surpreendesses e hoje não foi exceção. Foste maravilhoso», disse Mia Rose, uma das juradas.

Denis Filipe (Rui Reininho)

Here I Go Again dos Whitesnake foi o tema levado a palco por Denis Filipe. Esta foi, aos meus olhos, uma das melhores prestações deste concorrente. Dono de uma voz forte, soube consiliá-la com uma irreverência que lhe é há muito conhecida. «És mais irreverente do programa e, por isso, interessante. Chegaste aqui por mérito próprio» disse Paulo Gonzo.

Daniel Moreira (Mia Rose)

Daniel Moreira foi uma das grandes surpresas da noite. Apresentou-se decidido e confiante e isso foi crucial para que esta atuação fosse um sucesso. Com um poder vocal já conhecido e juntamente com a magia transmitida pela música Can’t Help Falling In Love de Elvis Presley, Daniel fez uma interpretação que, aos meus olhos, foi uma das melhores deste concorrente. A sua mentora disse, a certa altura que: «Nós não temos uma voz como a tua em Portugal. Parabéns, foi a vez que cantaste melhor.».

As piores Vozes 

Carla Ribeiro (Anjos)

A concorrente da equipa dos Anjos apresentou-se em palco com o tema intenso de Tina Turner e Ike Turner – Proud Mary. Achei que esta não se tivesse destacado. Exagerou um pouco em termos vocais, com agudos muito fortes e que acabaram por perturbar um pouco a sua atuação, isto apesar da sua presença e da garra apresentados em palco que foram de louvar.

Segundo Nélson Rosado, o membro da sua equipa «esteve muito bem, com aquela garra que te é característica».

Pedro Poseiro (Rui Reininho)

Numa atuação mais calma e tranquila, Pedro Poseiro não se destacou. Interpretou o tema Have You Ever See The Rain dos Creedence Clearwater Revival. Foi dono de uma presença um pouco parada, sem muito movimento e isso, roubou-lhe um pouco do brilho que o tem vindo a caracterizar ao longo das galas. «Tens sido fantástico. É um prazer poder ouvir-te», disse o mentor Rui Reininho depois da sua performance na semi-final.

Salvador Seixas (Mia Rose)

Com uma intepretação bastante intimista, Salvador Seixas apresentou-se apenas com voz e piano. A Paixão de Rui Veloso, foi o tema escolhido e, apesar de encaixar no seu estilo musical, penso que as suas pequenas desafinações fizeram com que a prestação ficasse um tanto tremida. «Houve algumas oscilações na afinação, mas tiveste muito bem», foram estas as palavras ditas por Mia Rose logo após a sua atuação.

Duetos 

Salvador Seixas e Daniel Moreira (Mia Rose)

Juntos interpretaram o tema One Of Us de Joan Osborne. Foi o primeiro dueto da noite e ambos sairam-se bastante bem. A sua mentora, Mia Rose mostrou-se satisfeita com a atuação. Considero que Salvador Seixas se destacou pelo seu timbre e presença em palco. Não desfazendo a dedicação de Daniel Moreira que, apesar de tudo, se mostrou seguro e confiante nas suas capacidades. Dois grandes interpretes a cantarem juntos uma grande canção.

Joana Jorge e Bianca Adrião (Paulo Gonzo)

Ambas fizeram atuações a solo brilhantes e inspiradoras. Agora em dueto, Joana Jorge e Bianca Adrião subiram ao palco, depois do intervalo, com o tema Freedom! ’90 de George Michael. A junção das duas vozes foi magnifica, resultou numa harmonia musical muito boa. Conseguiram captar a atenção do público e ambas foram exemplares, afinadas e com a alma na voz.

Carla Ribeiro e Ricardo Oliveira (Anjos)

Numa sentida homenagem à recentemente falecida Whitney Houston, a equipa dos Anjos brindaram-nos com uma fortíssima interpretação de Greatest Love Of All. Apesar de Carla Ribeiro não se ter destacado a solo,a junção das duas vozes tornaram mágica a música que é uma das mais conhecidas da norte-americana. O concorrente Ricardo Oliveira apresentou-se também ao piano, fazendo com que esta prestação se tornasse ainda mais sentida. É de realçar também a cumplicidade entre os dois concorrentes. «Esta atuação foi perfeita. Prestaram uma merecida homenagem a uma grande cantora. Estamos orgulhoso de ter uma voz como as vossas na semi-final.», afirmaram os seus mentores.

Denis Filipe e Pedro Poseiro (Rui Reininho)

Uma prestação poderosa e cheia de energia dos concorrentes da equipa de Rui Reininho e que mostraram, ao som de Cairo dos Taxi, aquilo que são capazes de fazer. Segundo Catarina Furtado esta foi uma atuação apaixonante, opinião essa partilhada pelo mentor. Os dois encontraram-se muito bem ao longo da música fazendo uma ligação de vozes quase perfeita. Isto, fez com que, entre muitas outras coisas, esta fosse uma atuação bombástica e cantada em português.

Finalistas

Terminada a semi-final d’A Voz de Portugal, estão escolhidos os quatro finalistas que, no próximo sábado irão disputar o prémio desejado por milhares de pessoas. Assim, os escolhidos pela junção dos votos dos jurados com os do público foram: Bianca Adrião com um total de 105 pontos,  Ricardo Oliveira com 138 pontos, Denis Filipe com 109 pontos e Daniel Moreira com 113 pontos.

Por sua vez, foram eliminados Joana Jorge da equipa de Paulo Gonzo, Carla Ribeiro do grupo dos Anjos, Pedro Poseiro da equipa de Rui Reininho e Salvador Seixas que tinha como mentora Mia Rose.

  • Guilherme_costa92

     Oxilações? OXILAÇÕES?? Como é possível um erro destes num texto jornalístico. Já para não falar nas imprecisões, como o facto do brilho que cegou Paulo Gonzo ter sido proveniente do cintilante vestido de Catarina Furtado ou o título da canção interpretada por Ricardo Oliveira ser “When a Man Loves a Woman”…

    Enfim, os erros que esta crónica já nos tem habituado.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close