A Entrevista Rubricas

A Entrevista – Ricardo Pereira

destaque

Com dois canais no Cabo, um em sinal aberto na ZON – Globo – e um Premium nas restantes operadoras de cabo – TV Globo – a emissora brasileira atravessa um período de grande sucesso tendo revelado recentemente as suas apostas para 2013. Para além disso, a Globo e SIC têm vindo a estreitar as suas relações em Portugal com duas produções conjuntas e a possibilidade de haver mais projetos em parceria. É neste contexto que surge A Entrevista com o Diretor da Globo em Portugal – Ricardo Pereira – que se revela entusiasmado com as apostas para o mercado português e com o sucesso que tem vindo a ser alcançado. Temas como as novidades da Globo, novas novelas e parceria com a SIC foram os temas desta conversa. Leia então o que o homem forte da Globo no nosso país tem a dizer sobre a televisão nacional.

[quote]A ficção tem sido o principal elo entre a Globo e o público português.[/quote]

A TelevisãoRecentemente, no evento Vem_Aí, a Globo apresentou as suas novidades para 2013. O que destacaria na nova programação para Portugal?

Ricardo Pereira – A ficção tem sido o principal elo entre a Globo e o público português, facto que se tem confirmado com o crescente sucesso do canal Globo exclusivo ZON e com as produções que estão em exibição na SIC. Durante o ano de 2013 vêm aí muitas novidades, quer nos canais Globo e Globo Premium, quer na SIC. Vêm aí novas séries, como por exemplo O Canto da Sereia que estreou no dia 22 de abril no canal Globo, O Dentista Mascarado, que estreou no dia 19 no canal Globo Premium. Vêm aí também novas temporadas dos programas preferidos do público, tais como Fantástico, Esporte Espetacular, Tapas e Beijos, Pé na Cova, Programa do Jô, entre outros.

Além disso, vêm aí também novas novelas, cujas datas de estreia e o canal de exibição anunciaremos posteriormente, tais como Flor do Caribe, Sangue Bom, Amor à Vida e Saramandaia.

Foram apresentadas as novelas Flor do Caribe, Saramandaia, Amor à Vida e Sangue Bom, tal como referiu, neste evento. Qual (quais) delas acha que terá (ão) mais sucesso, tanto no Brasil como em Portugal? Porquê?

A Globo tem uma enorme capacidade de inovar, de criar novos conteúdos, novas tramas, por isso, acredito que qualquer um destes novos produtos vai ao encontro dessas premissas e vai certamente conquistar o público tanto no Brasil, como em Portugal.

Quais são os produtos para além da ficção que acha que mais se adequam ao nosso mercado?

Na nossa grelha de programação temos programas com mais de 20 anos que continuam a estar no top de preferência dos telespectadores em todo o mundo, e Portugal não é excepção, tais como o Fantástico, o Globo Esporte, o Manhatan Conection ou o Programa do Jô. Estes programas podem ser vistos em Portugal através do canal Globo Premium.

[pullquote_left]A qualidade de produção da Globo é e sempre foi reconhecida internacionalmente.[/pullquote_left]

Cada vez mais vemos que a grelha se adapta mais aos países em que o canal se estabelece, com conteúdos próprios. Essa é uma estratégia a seguir?

Quando o público português assina o canal Globo ou o canal Globo Premium procura produtos com a assinatura da Globo. A nossa relação com o público português já vem desde os anos 70 e continuamos a manter essa ligação, com um intercâmbio cada vez maior de atores e outros profissionais ou através das co-produções com a SIC que se têm revelado um enorme sucesso de audiências. Essa relação contínua torna-nos cada vez mais próximos de Portugal e dos fãs portugueses, assim como a nossa grelha de programas. Em Portugal, produzimos o Cá Estamos que em outubro deste ano comemora 5 anos.

Apesar disso, que formatos considera serem fundamentais manter face à Globo brasileira? Porquê?

A nossa grelha de programação obedece aos mesmos critérios que a grelha de programação da Globo no Brasil, com excepção feita para a exibição de novelas, pois o nosso acordo de parceria com a SIC prevê o direito de preferência da SIC na    escolha das mesmas.

Com o fim do GNT em Portugal, aliada à quebra das audiências que a SIC sofreu na última década, acha que a Globo tinha perdido algum peso no nosso país enquanto fábrica de conteúdos?

A qualidade de produção da Globo é e sempre foi reconhecida internacionalmente. O fenómeno que se verificou nos últimos anos em Portugal, e nos restantes países do mundo, teve a ver com a cedência de lugar de “prime time” dos programas estrangeiros aos produtos de produção nacional.

Agora a atravessar uma fase de sucessos na ficção, qual acha que foi o fator que contribuiu para essa reviravolta?

As pessoas que trabalham na Globo procuram todos os dias ir ao encontro das necessidades e preferências do público e, como tal, inovam a cada minuto, com total dedicação e elevada qualidade. E isso reflecte-se, certamente, nos conteúdos que produzimos.

A nível global, a Globo tem vindo a apostar em remakes e, com isso, a cativar cada vez mais expectadores. Acha que essa estratégia é adequada aos mercados português e brasileiro?

As boas histórias merecem sempre ser recontadas, aqui ou em qualquer país. O sucesso de O Astro, que recebeu um Emmy, ou de Gabriela, que fez “parar” os portugueses pela segunda vez são a prova disso. E agora, vem aí Saramandaia.

Num mercado cada vez mais competitivo e com as receitas publicitárias a entrarem em quebra, como conseguem manter dois canais independentes no nosso país?

O canal Globo e o canal Globo Premium são duas ofertas diferenciadas e complementares. A grelha do canal Globo, exclusivo ZON, valoriza a ficção, com a transmissão de novelas inéditas, reposições, séries e cinema

 brasileiro, entre outros programas de variedades. O canal Globo Premium vai destacar-se pelos programas de informação como o Jornal Nacional, o Manhatan Conection, ou os míticos programas de entrevista como o Programa do Jô ou o Marília Gabriela Entrevista, aliados à transmissão em direto do Campeonato de Futebol Brasileiro.

Como vê o peso que o Cabo tem vindo a ganhar nas audiências em Portugal?

Nos últimos meses temos verificado uma dinâmica muito positiva na televisão por assinatura em Portugal, através da diversificação de ofertas, funcionalidades e abertura de novos canais, com novos conteúdos e isso faz certamente toda a diferença no momento da escolha dos consumidores.

[pullquote_right]A nossa parceria com a SIC está mais sólida do que nunca.[/pullquote_right]

Onde vê a Globo em dezembro de 2013?

Fazendo cada vez mais sucesso em Portugal, com as nossas novelas a liderar as audiências na SIC e a sermos, como os nossos dois canais, a melhor alternativa de conteúdo brasileiro na televisão por assinatura.

É sabido que a SIC e a Globo têm uma parceria já há décadas. Que papel acha que a Globo desempenhou no crescimento e sucesso da estação de Carnaxide?

A Globo tem vindo a acompanhar o crescimento e o sucesso da SIC, como parceiros que somos.

Como vê a relação entre a Globo e a SIC no nosso país? Acha que essa relação limita, de alguma forma, os conteúdos que a Globo (ZON) e canal premium TV Globo podem emitir?

A nossa parceria com a SIC está mais sólida do que nunca. As novelas da Globo que estão actualmente em exibição estão no top de programas líderes de audiência e a nossa última co-produção, Dancin’Days, é líder no horário nobre, atingindo níveis de audiência como nenhuma novela portuguesa tinha atingido até agora. A Globo é uma Central de Produção com uma elevada capacidade de criar novos produtos, pelo que a SIC não consegue incluir na sua programação toda a nossa produção. Desta forma, termos capacidade para emitir produtos inovadores e diferenciadores, paralelamente na SIC e no canal Globo e no canal Globo Premium.

Já alguma vez queria apostar num produto que não pôde ir para a frente por ser transmitido na SIC?

Naturalmente, a nossa parceria com a SIC é na TV aberta, que atinge uma audiência muito mais importante. Na verdade, acho que algumas das nossas novas séries e mini-séries poderão no futuro interessar à SIC. Mas, como referi anteriormente a Globo tem capacidade para produzir conteúdos diferenciadores em número suficiente que não nos colocam nessa situação de escolha. O objectivo do lançamento do novo canal Globo foi precisamente o de aumentar a oferta de conteúdos Globo para o público português.

Como avalia a parceria SIC/Globo nas novelas do canal português, desde Laços de Sangue? Essa ajuda é para manter em futuros projetos, como Ambição?

Melhor seria impossível. Laços de Sangue recebeu um Emmy e Dancin’Days é líder de audiências em Portugal. Esses factos provam que este modelo de co-produção é talhado pelo sucesso. O nosso acordo com a SIC incluía apenas duas co-produções, pelo que no final de Dancin’Days faremos uma avaliação conjunta e decidiremos os passos futuros.

  • Daniel Marques

    TV Globo Premium não só canal exclusivo Meo. Está disponível em várias plataformas 🙂

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close