A Entrevista

Hélder Reis

Hélder Reis tem 35 anos e é apresentador da RTP desde 2002, faz parte da equipa de “Praça da Alegria” desde que iniciou-se no canal público. Para além da apresentação também já editou vários livros e é vocalista da banda “Pólen”. Fique a conhece-lo melhor nesta entrevista que deu ao TV Universo!

 

É dos poucos profissionais de televisão que possuí um site oficial. De onde surgiu esta ideia? Pensa que é uma forma de estar mais próximo do seu público?

Sim, é uma óptima forma de me aproximar das pessoas que me vêem, e partilhar experiências e emoções!

Faz desde 2002 parte da equipa de “Praça da Alegria”. Sente-se bem como repórter do programa?

Claro que sim, sou muito feliz no meu trabalho. Percorrer o país, estar em contacto directo com as gentes, ir aos sítios onde a notícia acontece. É uma felicidade!


Gostava de “voar mais alto”, ter um programa só seu?

Não penso nisso, porque em primeiro lugar não depende da minha vontade, e depois porque aquilo que faço completa-me, mas quero experimentar outros registos, mas não sinto que essa vontade seja voar mais alto….

Alguma vez recebeu algum convite para sair da RTP?

Não, ainda bem!


Aos poucos e poucos, a “Praça” tem voltado a dar muitas alegrias à RTP. Sente que essa é uma recompensa pelos anos de trabalho que estão por traz?

Já lá vão 15 anos! Somos uma instituição na televisão portuguesa. Termos as boas audiências que temos é um sinal de juventude e actualidade no programa!

É comum vê-lo receber imensos gestos de carinho por parte das pessoas, quando faz reportagem para a “Praça da Alegria”. Qual o seu segredo para conseguir chegar tão perto e receber estes “presentes” delas?

Ser eu próprio, sem máscaras!

Esteve durante algum tempo no seminário. Como é que esses anos contribuíram para a sua formação enquanto pessoa?

Formou-me humana e intelectualmente. Sou licenciado em Teologia, esta formação obriga-me a pensar, a duvidar, a respeitar, a acreditar….

Como descreveria o actual estado da televisão em Portugal? 

Às vezes sinto que há canais que se desesperam pela audiência. E o público não gosta de tudo o que lhe dão! Sinto falta de alguma ponderação.


O Hélder também canta, é algo que sempre gostou de fazer?

Sempre, muito antes da TV. E sempre estudei canto, trabalhei a minha voz….

Como está a sua carreira musical neste momento?

Muito bem. Preparamos (Os Pólen) o 2º CD, temos actuado por todo o país, corre muito bem, é a nossa música….

E em Portugal, gosta da música que se faz por cá? Quais os seus artistas portugueses e estrangeiros preferidos?

Rodrigo Leão, Sete Saias, Sara Tavares,Tambor, E muita música do mundo…..

Em 1998 editou juntamente com uns colegas o livro de poesia “Rosas de Mar”, como surgiu a hipótese?

Rostos do mar, e foi editado pela faculdade de Teologia, foi um convite da direcção e da associação de estudantes.

E em 2006 editou “Branco”, um livro particular já que além da tinta também foi feito em Braille. Como surgiu esta hipótese?

Foi uma ideia minha e da fundação Manuel Leão, que o editou, trata-se de um contributo para a integração da pessoa deficiente.

Sente que a maioria das editoras não só portuguesas continua a não publicar os livros em Braille por uma questão puramente económica?

Fica caro e não é um livro de massas. O que não rende, não vende!

Para quando outro livro?

Acabei de editar um conto Infantil “A Aldeia da Casa Magia”, reverte para o Centro Social de Paramos…e depois vamos ver…mas para já não há mais nada na manga..

Faz televisão, canta, escreve e ainda estuda. Como tem tempo para tanta coisa? É difícil gerir tantas áreas? Qual delas é a sua “verdadeira paixão”?

Sou muito organizado. Paixão???? Tudo me completa e faz parte daquilo que sou. Por isso não posso escolher.

Que projectos tem para o futuro?

Segredo.

 

Curtas & Boas

Gosta de?
Rir

Não gosta de?
Mentiras

Um livro:
Cisnes Selvagens

Um ídolo:
Não idolatro, mas gosto de Madonna

Uma canção:
Qualquer uma dos Pólen, a minha banda…e Sinatra….sempre

Actualmente o que gosta mais de ver na televisão?
Noticiários e séries

Memória mais remota da televisão?
Jogos sem fronteiras

A minha vida é?
Uma felicidade

Não vive sem?
Quem amo

O que gostava de ter dito e nunca disse?
Não me aborreçam!