A Entrevista Rubricas

A Entrevista – Ricardo Afonso

lFhUsx1

A notícia correu o país: Ricardo Afonso, um cantor português de 38 anos, surpreendeu na fase de castings do concurso de talentos musicais The Voice, no Reino Unido. Bastou o tema «Hard to Handle» de Otis Redding para deixar os quatro jurados boquiabertos. E, em entrevista ao A Televisão, o jovem garante que não vai desistir do seu sonho, que passa por conquistar um lugar na música. «Temos de criar situações para que as oportunidades surjam», afirma Ricardo.

[quote]Estar um passo à frente pode ser a diferença entre as coisas resultarem bem ou mal[/quote]

O cantor esteve recentemente em Portugal

A Televisão – Como surge esta iniciativa de participar no programa The Voice?

Ricardo Afonso – Eu acredito em abrir portas. Temos de criar situações para que as oportunidades surjam. No meio musical, em geral, a concorrência é feroz. Portanto, estar/pensar um passo à frente pode ser a diferença entre as coisas resultarem bem ou mal.

Qual a sensação de pisar o palco deste programa?

Estar no The Voice é fantástico. Estar rodeado de talentos em frente a milhões de pessoas faz-me sentir humilde e com os pés assentes na terra. A energia e a adrenalina de atuar ao vivo não tem igual, a meu ver. E é, por isso mesmo, que eu vivo.

Com que objetivo se candidatou?

A minha participação no The Voice é mais um passo que dou com o intuito de aumentar as minhas experiências, a minha carreira e, acima de tudo, a estabilidade pessoal e financeira da minha família.

Conte-nos como correu o seu primeiro casting.

No dia em que gravámos, eu cheguei ao estúdio às 7h00 e só cantei às 16h45… Tive de utilizar toda a minha experiência para lidar com os meus nervos e os de todos os concorrentes menos experientes, que vi entrar pela porta antes de mim. Da minha sessão, fui o penúltimo a cantar!

Quem o apoiou nesta aventura?

Tive sempre a minha família presente, dentro de mim, e isso foi toda a ajuda necessária quando chegou a hora.

Recebeu vários elogios relativamente à sua prestação, certo?

Recebi comentários bons dos Coaches [membros do júri], que eu respeito e admiro imenso, especialmente do Tom Jones. Mas nesta altura, a opinião do Danny [vocalista dos The Script] é a que conta mais, afinal de contas já paço parte do Team Danny!

Isso quer dizer que, dos quatro jurados, identifica-se mais com o Danny?

Sim, exato.

É fã dos The Script, a banda do mentor da sua equipa?

Gosto imenso da música dos The Script. Os temas e a produção dos álbuns são excelentes.

Qual é a sensação de ser aplaudido por milhares de pessoas?

Não penso muito em aplausos e coisas do género. Eu gosto do que faço e só isso me faz feliz e deixa realizado.

[quote]Não estava à espera de uma resposta tão positiva[/quote]

É fácil chegar ao palco e entregar-se à música?

Tento sempre dar o meu máximo com empenho, dedicação e concentração.

Como está a gerir todas as mensagens de apoio que, certamente, têm “disparado” nas últimas semanas?

Com um profundo sentimento de que nada está ganho e com os pés bem assentes na terra. Mas feliz por aparentemente ter trazido um pouco de felicidade aos portugueses.

Tem recebido apoio de profissionais que também frequentam o palco?

O apoio de toda a gente que frequenta os palcos e as plateias do West End tem sido imenso. Mas o volume que vem de Portugal, deixou-me tão contente. É tão bom ler o apoio que me chega pelo Twitter e Facebook, em português!

Sente que o seu talento é reconhecido em Portugal?

A semana passada estive em Portugal e as mensagens de apoio do publico português deixaram-me contente. Não estava à espera de uma resposta tão positiva.

Em 2011 atuou nos Globos de Ouro da SIC. Gostava de ter uma participação mais ativa em programas e eventos nacionais?

Nunca fechei a porta a Portugal. Estou agora em conversas com dois grandes amigos, o Luís Fernando e o Rui Fingers, e temos ideias para fazermos música cá em Portugal.

E que ideias são essas?

Ainda estamos no início, a passos pequenos mas certos. Vamos ver o que acontece no futuro.

Qual o seu maior sonho?

Ricardo Afonso no «5 Para a Meia-Noite»

Ter uma vida cheia de experiências. E uma carreira longa.

E se for o grande vencedor do The Voice?

Não penso em ganhar o The Voice. A minha participação tem a ver com experiências e novas oportunidades.

Uma mensagem para todos aqueles que pretendem seguir carreira musical?

Nunca tomem decisões baseadas na fama, mas sim em empenho. Uma carreira longa demora tempo a construir.

[divider]

Veja a mensagem que o Ricardo deixou para si:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=JdTtkSBHZII]

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close