A Entrevista

A Entrevista – Joana de Verona

O grande público ficou a conhecê-la como Adriana da quarta série de Morangos com Açúcar. Desde esse tempo que passou a ser raro vê-la nos ecrãs. Fez uma curta participação em Liberdade XXI, por exemplo, mas é no cinema que tem dado cartas. Contudo, os motivos para o seu afastamento são outros: Joana quis terminar o conservatório e apostar na formação.

Vários anos volvidos, a jovem está de regresso e vai dar vida a uma personagem de relevo em Depois do Adeus, a nova série de época que a SP Televisão está a produzir para a SP Televisão. Joana de Verona é Luísa Cardoso, uma jovem de dezanove anos, militante do MRPP, obsessiva, vingativa e inflexível.

Em entrevista exclusiva ao A Televisão, a atriz falou um pouco sobre o que tem feito ao longo dos últimos tempos, a alegria de regressar aos ecrãs e mostrou-se disponível para fazer telenovelas.

[pullquote_left] Depois do Adeus é muito, muito interessante, muito desafiante do ponto de vista histórico e acho que cada ator se sente contente por fazer parte disto. [/pullquote_left]

A Televisão – Como surgiu a oportunidade de regressares à televisão?

Joana Verona – Já não fazia televisão há cinco anos, eu acho. Surgiu através de um convite. A SP (Televisão) entrou em contacto comigo e eu aceitei, claro, adoro o projeto e é um projeto que vai dar imenso trabalho, e nós estamos todos entusiasmados.

Estás feliz por se terem lembrado de ti?

Sim, estou contente por se terem lembrado de mim para este projeto, sem dúvida. Há muitos bons atores, o projeto é muito, muito interessante, muito desafiante do ponto de vista histórico e acho que cada ator se sente contente por fazer parte disto. E é um projeto que está a ser preparado com muito cuidado, com muito profissionalismo.

Como foi a preparação para esta personagem?

Basicamente, ou melhor, complexamente, eu brinco com os meus amigos. Então digo ‘agora vou estudar os textos, ou seja, vou estudar história’, tenho feita muita pesquisa, lido várias coisas e sobretudo falado com tios, pais, que viveram esta época e que me possam explicar e relatar com muita veracidade, politicamente o que se passava na altura, uma vez que a minha personagem é militante do MRPP, portanto é perceber, apoiar-me nas pessoas que viveram esta época para eu tentar percebê-la melhor, e tentar apropriar-me melhor.

E projectos futuros, depois da série?

Depois da série, talvez possa acontecer uma longa-metragem de época no final do ano, mas ainda não está certo, as datas, nem nada ao certo.

[pullquote_left]estou contente por se terem lembrado de mim para este projeto, sem dúvida. [/pullquote_left]

Porque é que, depois dos Morangos com Açúcar, nunca mais fizeste nada para televisão? Opção própria ou falta de convites?

Não foi por falta de convites, de facto. Foi porque queria fazer o conservatório de seguida, a Escola Superior de Teatro, não queria interromper, e então como estava a ter trabalho no teatro e no cinema, a fazer filmes e estava a estudar, não havia mesmo tempo para fazer televisão, para fazer novelas, uma vez que é preciso estar muito disponível e como a minha prioridade era acabar a Escola Superior de Teatro, que acabei agora.

E agora que acabaste, se surgir um convite, vais estar aberta a propostas?

Sim, à partida não digo que não por ser um projeto de televisão, seja de televisão, cinema ou teatro, se surgir, eu hei-de ficar contente, claro e depois vê-se na altura que projeto é que é e pondera-se, como qualquer trabalho.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close