A Entrevista Rubricas

A Entrevista – Diogo Dias

Diogo Dias

Além de ser presença assídua na MTV Portugal, o Diogo é também vocalista da banda que formou quando tinha 16 anos: os Klepht. Vários anos depois, ele continua a dar a cara – e a voz! a este canal, partilhando agora o pequeno ecrã com Ana Sofia. Está tudo dito – Diogo Dias é o escolhido para a entrevista desta semana d’A Televisão! Saiba o que o VJ da MTV nos disse:

[quote]Sempre que gostas muito de um artista, essa entrevista acaba por ter um significado especial[/quote]

A Televisão – Como é ser a cara (e a voz) da MTV Portugal durante tantos anos?

Diogo Dias – É muito prestigiante. Cresci a ver este canal! Ter a possibilidade de fazer parte do mundo da MTV (e durante tantos anos) é algo que nunca pensei que fosse possível.

Quando era mais novo, qual a profissão que sonhava seguir?

Sempre quis ter uma banda, e isso acabou por acontecer. Também gostava muito de dizer que queria ser médico, mas sinceramente não sei até que ponto teria vocação.

Como nasceu esse gosto pela música?

Tenho dois irmãos mais velhos que ouviam muita música. Fui habituado a ouvir todo o tipo de bandas desde muito novo, acho que essa foi a principal razão. Mas lembro-me que aos 11 anos, quando ouvi pela primeira vez o «Even Flow» dos Pearl Jam, o gosto pela música ganhou uma nova dimensão.

E como surgiu a oportunidade para ser apresentador da MTV?

Fui fazer um casting para um anúncio, e o dono da produtora perguntou-me se não queria fazer um casting para um programa de música. Como na altura já tocava com os Klepht, e fazia teatro, não vi problema nenhum em arriscar. Passei três fases, e só à terceira é que me disseram que era para a MTV.

É fácil conjugar a profissão de música com o seu trabalho na MTV?

Desde o primeiro dia que comecei a trabalhar na MTV, disse que tinha uma banda, e que esse era o meu verdadeiro sonho. Até hoje nunca tive problema nenhum em conciliar os dois.

No papel de VJ, teve a oportunidade de conhecer os mais diversos artistas nacionais e internacionais. Qual o que mais lhe marcou?

Foram vários. Dave Grohl, Audioslave (Rage Against the Machine e Soundgarden), Marilyn Manson, Muse, The Strokes, entre outros. Acho que sempre que gostas muito de um artista, essa entrevista acaba por ter um significado especial.

Falando em entrevistas, qual a situação mais caricata que já lhe aconteceu nesta área?

Ter um baterista de uma banda a dar pontapés num projetor e a ameaçar-me a mim e à minha equipa que nos batia, só porque durante a entrevista não lhe fiz nenhuma pergunta específica.

Trabalhar com a Ana Sofia (a sua nova colega na MTV) é fácil?

Muito fácil. É uma excelente profissional, e uma ótima colega. Acho que conseguimos encontrar uma química passado muito pouco tempo de ela ter vencido o VJ Casting  [2012]. Trabalhar com pessoas que são cinco estrelas é um prazer.

E como foi trabalhar com a Luísa Barbosa?

Apesar de não trabalhar mais na MTV, a Luísa é uma grande amiga. Costumo estar muitas vezes com ela. É uma excelente profissional e uma mulher fantástica.

Lamentou a sua saída?

Claro que sim. É sempre bom trabalhar com amigos, mas ela sentiu que precisava de novos voos e, como amigo, o meu dever foi sempre o de apoiar.

[quote]Portugal tem um grave problema em reconhecer os seus artistas e a sua cultura[/quote]

Ao longo dos últimos anos, a MTV tem sido criticada por dar cada vez menos atenção à música. Qual a sua opinião relativamente a este assunto?

Hoje em dia, a MTV não é um canal de música, é um canal de entreternimento. Se repararem, a sigla MTV já não é acompanhada com Music Television. Os tempos mudaram, com a internet as pessoas têm acesso a música sempre que querem. E por muito estranho que seja, a verdade é que, durante muito tempo, fomos a MTV que mais música passava na Europa. Contudo, sempre que um programa de música passava no canal, as audiências baixavam. É estranho, as pessoas queixam-se, mas na verdade quando dá música – mudam de canal. Eu cresci a ver a MTV como um canal de música, mas sei que um canal tem que apresentar resultados. E se a música já não dá esses resultados, o canal tem de se reinventar…

Quando é que volta a acontecer um evento MTV em Portugal (como os Europe Music Awards em 2005)?

Isso não depende da MTV Portugal, é decidido pela MTV Internacional. Mas acho que já merecíamos ter novamente uns MTV EMA’s, desta vez no Porto.

Algumas músicas dos Klepht já fizeram parte da banda sonora de novelas nacionais. Sente que o seu talento é reconhecido?

Acho que o reconhecimento é algo que vem com o tempo. Apesar de estarmos melhores, acho que Portugal tem um grave problema em reconhecer os seus artistas e a sua cultura.

Aceitava um convite para trabalhar nos canais generalistas?

Sim, aceitaria, mas teria de ser um projeto que fizesse sentido. Gosto e sempre gostei de desafios.

O que se vê a fazer daqui a dez anos?

Não penso muito nisso. Mas uma coisa tenho a certeza: vou querer continuar a fazer música. O resto não faço planos, as coisas vão acontecendo sempre por um motivo.

Projetos para o futuro?

Projetos há sempre, mas o único que posso revelar é que brevemente os Klepht vão lançar o terceiro álbum.

Um sonho em televisão?

Um programa que misturasse duas paixões: música e viagens.

[divider]

O Diogo deixou uma mensagem para os leitores d’A Televisão!

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=JHa-Np5TVbE&hd=1]

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close