A Entrevista

A Entrevista – António Raminhos

destaque

destaque

António Raminhos, conhecido pela sua participação no 5 Para a Meia-Noite, considera ter os ingredientes necessários para apresentar o talk-show da RTP1. No entanto, este desejo surgiu recentemente. «Noutra altura, se calhar não me sentia tão à vontade, mas agora acho que já tenho outra “estaleca”», afirmou ao nosso site. O concorrente de Feitos ao Bife, concurso apresentado por Vasco Palmeirim, aceitou o convite d’A Televisão e apresenta-se aqui num registo mais sério, abordando o seu percurso na caixinha mágica. Já de seguida, uma conversa a não perder…

Alguma vez pensou voltar a ser jornalista se o humor não corresse bem?

É uma boa questão. Já pensei: «E se isto acabar, o que faço?», mas não tenho uma resposta, porque começo imediatamente a pensar em parvoíces. E isso dá origem a sketches ou piadas, o que me leva a crer que ainda há aqui «coisa» para alguns anos… Meses vá.

Então e quando começou a sentir que o humor era a sua vocação?

Curiosamente, eu sempre consumi muito humor, desde pequeno. Mas nunca tinha pensado na área como uma hipótese. Quando fui para o fantástico mundo do desemprego, aproveitei e fiz um blog, onde comecei a escrever sketches e piadas. Contudo, só anos mais tarde, nuns espectáculos no Funchal, senti realmente que «era isto». E, mais recentemente, quando estive no Brasil, senti o mesmo.

Mas chegou a viver intensamente a profissão de jornalista?

Mesmo quando era jornalista e tinha carteira profissional, não me sentia um jornalista. Acho que é muito mais do que isso, tal como ser comediante é muito mais do que ver muita comédia, contar piadas e vestir um blazer à Seinfeld.

Quais as suas fontes de inspiração?

Mitch Hedberg, Demetri Martin, Herman José, Conan O’Brien e o primeiro de todos foi Jerry Lewis. Lembro-me quando a RTP dava à tarde filmes do Jerry Lewis e eu devia estar a estudar… E não estava.

Para si, que características deve ter um bom humorista?

Ser genuíno e não ser muito de modas. Dá-me ideia que muita malta quer ser humorista porque é giro e tal e são muito malucos. E, então, vêem todas as séries de comédia, sabem tudo e são ateus (também parece um pré-requisito agora). Mas isto é um trabalho como outro qualquer.

Como avalia o atual panorama televisivo?

É o tempo dos concursos sem conteúdo, como o Splash! Celebridades, o da luva de boxe, outro de karaoke. Está quase tudo a tornar-se num game-show japonês, mas sem a loucura dos japoneses…  E isso é que é pena!

Qual a situação mais hilariante que já teve com um fã?

Muita gente me aborda na rua como sendo o «granda maluco», sobretudo é isso. Malta que se cruza e fala comigo, como se eu fosse amigo de infância. E por mim é sem problema! Vamos embora!

«Quero agradar a toda a gente e isso é impossível», diz António Raminhos

Quando um dia não lhe corre bem ou quando não está bem-disposto, como consegue dar a volta?

Às vezes são os melhores dias. Porque posso estar chateado ou em baixo com alguma coisa e aproveito esse momento para compensar tudo o resto ou dar tudo. Por outro lado, quem convive comigo vê-me muitas vezes naturalmente bruto e não sabe distinguir se estou a gozar ou a falar a sério. O que dá jeito!

Isto de ser humorista não é para qualquer um, é isso que está a querer dizer?

É fácil escrever piadas quando nos lembramos, mais complicado é fazê-lo todos os dias… e a contra-relógio muitas vezes.

Quais as suas fragilidades, os seus medos?

Quero agradar a toda a gente e isso é impossível. Quero ser sempre o melhor e isso é impossivel. Estou numa constanta avaliação. Se 50 pessoas dizem que gostam e uma diz que não gosta, fico a pensar porque é que aquela não gosta. É uma coisa de doidos.

Falemos agora de projetos atuais. Os ensaios para Feitos ao Bife ocupam-lhe quantos dias por semana?

Ocupam sensivelmente dois dias «oficiais», mais o sábado todo, onde ensaiamos no mínimo mais duas vezes. Mas quando recebemos as provas, geralmente à segunda, começamos logo a pensar nisso.

O que lhe passou pela cabeça quando, na primeira gala do concurso da RTP1, foi surpreendido com um «momento armadilhado»: a entrada da sua mãe em estúdio?

Epá, passou-me tudo! Não sabia se havia de rir ou chorar, porque era a última pessoa que eu poderia imaginar estar ali. E nesse momento, numa questão de segundos, passou-me na cabeça a vida da minha mãe, as dificuldades, os problemas que teve e que foi do caraças estar ali.

O que é que falaram quando estiveram juntos, após o término da gala?

Nada! Ficámos a rir, não precisamos de falar muito para saber o que pensamos! Agradeci sobretudo  à equipa e à minha mãe pela surpresa.

Vasco Palmeirim está a ser uma boa aposta por parte da RTP1?

É sim senhor. Um rapaz cinco estrelas, com talento para apresentar e muito mais. Conversamos muito, discutimos ideias, dizemos parvoíces. Acho que o Vasco pode ser uma aposta da RTP.

Quais as áreas que vai experimentar nas próximas emissões?

Aproveitei o programa para fazer coisas que inicialmente não poderia fazer noutro local. Como sketches do Herman, Monty Python, Jim Carrey, etc…

E quais são as áreas que mais receia?

As piores áreas para mim são cantar e dançar, mas sendo isto um programa mais virado para o humor, qualquer uma vai dar para rir.

Muita gente gostaria de o ver a apresentar o 5 Para a Meia-Noite. Sentia-se à vontade neste registo?

Sim, gostava de apresentar o 5 Para a Meia-Noite. Noutra altura, se calhar não me sentia tão à vontade, mas agora acho que já tenho outra «estaleca». Não podia era perder a oportunidade de continuar a fazer sketches e a partir coisas!

Recorde aqui a personagem mais popular do humorista:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=h4wjiXunbqY]

  • iva

    este gajo não tem piada nenhuma, que aberração…

    • Hugo Santos

      Não diga asneiras. É um excelente humorista.

    • dad

      tu e que nao sabes o que é humor…
      deves preferir fernando rocha ou esses do género.

    • Di.

      Ahahah, isso é dor de cotovelo? Inveja? Soberba? Cuide-se!
      Gostava de a ver a fazer um décimo do que o Raminhos faz!
      Olhe para si antes de julgar os outros!
      Parabéns pela entrevista e parabéns ao Raminhos por ser o EXCELENTE humorista e homem que é!

      • sacg96

        Não é dor de cotovelo. eu também não gosto muito dele… lá faz uma coisa ou outra com piada. Simplesmente são opiniões, não o considero um grande humorista. Todos os humoristas têm um estilo de humor muito próprio, e o estilo do Raminhos não uma coisa que me agrade.

        Acho que as pessoas podem ter os seus gostos, não quer dizer que não se goste de uma pessoa, por dor de cotovelo.

  • Awooga

    Aceito todas as opiniões, mas eu também não acho piada nenhuma a este Raminhos, penso que está muito longe de outros para ser tratado ao mesmo nível

  • Marcos Teixeira

    não vejo o Raminhos apresentar o 5.

  • tadeu

    o 5 para a meia noite precisa é de mulheres a apresentar e não de rapazolas sem graça nenhuma

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close