RTP

RTP pode não ser vendida

RTP1 exterior

RTP1 exteriorPSD e CDS não se decidem quanto ao destino da RTP. Pedro Passos Coelho já admitiu que gostaria que, até ao final do mês, ficasse decidido qual o modelo de privatização da estação pública, mas o diferendo entre o PSD e o CDS acerca deste assunto está a arrastar o processo. Isto porque, Paulo Portas, há muito que se demonstrou contra a privatização e agora até Cavaco Silva mostrou discórdia quanto à possibilidade do serviço público ser assegurado por privados.

O cenário em vista é a da concessão de 49% da RTP, mantendo-se o Estado como acionista maioritário, ficando a gestão nas mãos do privado. Este será o cenário que o ministro da tutela, Miguel Relvas, mais se inclina. Mas esta opção não tem reúnido consenso na coligação. «O tempo que tem demorado este processo [de privatização da RTP] é sinal da sua complexidade e da vontade de ser bem feito e bem conduzido”, disse ao Dinheiro Vivo Raul Almeida, deputado do CDS, acrescentando que «Se houver condições para a manutenção do serviço público num cenário de privatização, [então] que ela se possa fazer; se não houver, que ela não se faça».

Na RTP, a equipa liderada por Alberto da Ponte tem vindo a dar continuidade ao plano de reestruturação da empresa. A Norte, o Centro de Produção ganhou autonomia, uma direção e um orçamento próprio, tendo sido encaminhada para este Centro a produção da RTP2. A programação e a grelha também sofreram mexidas, como a passagem da produção de programas como a «Praça da Alegria» para Lisboa, que, segundo Luís Marinho, Diretor-geral de conteúdos, foi a mais barata de sempre, ou seja, menos de 55 milhões de euros.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close