RTP

Roberto Leal agradece a “Último a Sair”

É o entrevistado desta semana de Alta Definição, e só tem a agradecer à RTP1 pela oportunidade que lhe foi dada em Último a Sair. Segundo o cantor, existia um preconceito em relação à sua pessoa, que foi colocado de parte com a participação no programa do primeiro canal. Por outro lado, o próprio guião de Último a Sair nem sempre foi seguido à risca, pelo facto de terem existido momentos únicos, em que os próprios concorrentes não estavam a representar. Por exemplo, e tal como explica Roberto Carlos, “aquelas lágrimas quando o Futre foi à casa, não estavam no guião. Quando ele disse ‘el portugués’ e eu disse ‘eu sou o português brasileiro’… Eu lutei ao máximo para ser eu durante o tempo todo”.

De referir igualmente que com esta participação no programa da RTP1, a ligação dos mais jovens ao cantor foi alterada, como se estes o passassem a conhecer de outra forma. Num concerto na Marina de Cascais, “encontrei muitos jovens que se dirigiram a mim numa espécie de perdão. Eles viram um Roberto que não conheciam”, afirmou à Notícias TV.

Em suma, Roberto Leal conclui que Último a Sair foi um dos melhores projetos da sua carreira, pelo facto de ter sido possível conciliar o humor com temas mais profundos: “Foi uma experiência fantástica. Nunca pensei que, num programa onde se faz sátira, tivesse a oportunidade de falar de coisas profundas e sérias”.