RTP

Provedor do telespectador: RTP Memória e RTP Informação «não fazem sentido»

jaimefernandes

jaimefernandes

Em entrevista, Jaime Fernandes disse que «a RTP é um empresa grande, que se calhar presta serviços a mais e que gasta dinheiro a mais», colocando os dois canais temáticos da RTP como forma de cortar custos.

A entrevista do novo provedor do telespectador, dada ao Jornal Sénior e citada pelo Meios & Publicidade, colocou esta hipótese como uma das formas de compensar a ausência da indemnização compensatória que o governo pretende retirar e assim financiar a RTP apenas com a contribuição audiovisual e com o dinheiro proveniente das receitas publicitárias. Sobre a RTP Memória, canal arrancado em 2004 e que tem no arquivo da RTP a esmagadora maioria da sua programação, Jaime Fernandes afirmou «que talvez neste momento a RTP Memória não fará grande sentido. Foi um canal importante que cumpriu o seu papel, mas já não se justifica e por aí podemos começar a poupar». Da RTP Informação, diz ter «grandes reservas» à sua continuação, por, neste caso, estar a «competir directamente com a concorrência. Acho que a RTP devia concentrar todo o seu esforço em produzir os dois grandes canais de televisão: a RTP1 e a a RTP2»

Na mesma entrevista, o substituto de José Carlos Abrantes – nomeado em maio passado -, admite a possibilidade da RTP Internacional poder mudar de tutela e passar a contar com um orçamento independente da casa-mãe, «Enquanto provedor, não desdenharia a possibilidade de esse serviço ter uma tutela diferente, não ser ser necessariamente a tutela da Presidência do Conselho de Ministros, podia ser o Ministério dos Negócios Estrangeiros e/ou Ministério da Economia que daria aos serviços internacionais uma componente económica mais forte», disse ao Jornal Sénior.

  • Miguel Lopes

    A questão é saber se estes canais representam custos ou proveitos, tendo em conta que estão em plataformas pagas. No caso da Memória não sei, mas em relação à RTP Informação o próprio administrador, Alberto da Ponte, assumiu que não via como essencial a existência deste canal, no entanto como era uma fonte de receitas…

  • sacg96

    Concordo que apostem mais nos principais canais RTP1 e RTP2, precisam de ser desenvolvidos. Apesar de ultimamente a RTP1 tem-me surpreendido cada vez mais, começa a revelar-se um canal que não era antes. Com novos conteúdos e boas apostas na ficção nacional, se continuar assim, num bom caminho poderá muito bem ser o melhor canal de Portugal. Mas ainda é preciso escalar muito, é preciso alterarem ainda algumas coisas, mas metade do caminho já foi escalado, com a apostas do 16:9, o primeiro canal (genérico) em HD (pelo menos na MEO), multi-plataforma (net, gadjets etc…), um look mais moderno, e um novo tipo de programas. Provavelmente se eles perdem muito com o Memória, porque não acabar com ele – penso eu que só os, perdoem-me a expressão, “cotas”, vêem esse canal. Em relação à Informação… bem, existem tantos concorrentes (TVI24, SIC Notícias, CMTV etc… etc…).

    • Latino

      Não entendo bem essa de acabar com o canal dos “cotas”. Não será uma das qualidades do cabo dirigir-se a grupos específicos, sejam eles etários ou sociais? Olhe que os “cotas” representam um largo secor dos consumidores de televisão. Já agora proponha a criação de câmaras de gás para os exterminar… A Segurança Social agradece.

      • sacg96

        O problema é que os “cotas” agora só querem TVI’s e essas tretas das Casas dos Segredos. Penso eu que já “ninguém” vê Memória. Mas pronto… continuam a existir sempre canais para todos no cabo… e se extinguir esse canal para melhorar o principal, porque não? é mais importante ter um bom canal livre do que um canal que deve estar a perder muito para a RTP.

        Quando eu digo “cotas” estou-me a referir a pessoas com 50’s, 60’s, não idosos. É a minha opinião, acho que tenho direito a dá-la, digo eu… -.- Enfim…

    • Diz-me quanto custa à RTP transmitir programas que estavam no arquivo? Eu julgo que nada.

      A RTP Memória deve ser baratinha e é o único canal do género na TV por cabo portuguesa.

      • João

        Temos a TVI Ficção, que afim ao cabo vai dar ao mesmo… E mesmo a RTP Memória transmitir o que está no arquivo da RTP, se reparares também transmite formatos internacionais, que apesar da “idade” os canais originários devem cobrar royalties, direitos de autor/transmissão… Tirando o dinheiro que a RTP Memória deve pagar aos operadores, pois como se vê pelas audiências do canal, pouco interessa aos operadores terem o canal nos seus pacotes…

        • Que eu saiba a TVI Ficção é exclusiva de um operador, logo os clientes dos outros operados não têm acesso ao mesmo. Além disso, e corrige-me se estiver enganado, pois eu nunca vi esse canal, mas pelo nome julgo que apenas transmite ficção! Logo não é bem igual ao RTP Memória, pois este não transmite apenas ficção.

          • João

            A TVI Ficção mais tarde ou mais cedo vais transitar para as outras operadoras. O que interessa aqui não é o que a RTP Memória transmite, mas sim a relação custo/benefício… Para as audiências que tem, caso encerrasse não faria falta à maioria dos consumidores de tv por cabo, e o dinheiro que se poupava podiam ser canalizados para a RTP2, que está disponível em todas as plataformas, inclusive a TDT…

          • Se vais pegar em audiências, então mais vale acabar já com a RTP.

          • João

            O problema não está aí… A RTP2 é canal generalista, e disponível em qualquer lugar (operadoras, tdt) enquanto que a RTP Memória não… E seria bastante mais sábio terminar com a RTP Memória e canalizar o dinheiro para a RTP2 que qualquer pessoa pode ver, do que manter dois canais com baixa audiência.

  • Scholes

    A Promessa da RTP MUSICA ficou para trás….

    • Tendo em conta que há cada vez menos dinheiro para os canais existentes, seria ridículo apostar num novo.

  • João Jordão

    Tanto Informação como Memória são os dois canais temáticos indispensáveis num serviço público, embora não nos moldes em que são disponibilizados actualmente! Esta ideia do sr. provedor é ridícula, se vivêssemos num país minimamente evoluído ambos os canais fariam parte do serviço TDT.

    • André Matias

      A RTP Memória nunca vai ter audiência suficiente para cobrir os custos de ser exibida em sinal aberto. Já a RTP Informação é perfeitamente capaz de sobreviver facilmente em sinal aberto.

  • André Matias

    Penso que uma boa maneira de a RTP ganhar mias dinheiro era diversificar a oferta de conteúdo.
    A RTP, a SIC e a TVI transmitem essencialmente a mesma coisa com algumas variantes nas apostas e na qualidade do conteúdo. Como tal nos canais em sinal aberto há um défice (na minha opinião) de conteúdo desportivo, maioritariamente reservado à Sporttv (canal dos ricos), e de conteúdo estrangeiro, nomeadamente series de grande audiência no estrangeiro que poderiam aumentar as audiências dos canais portugueses. Alguma séries são transmitidas na RTP 2, mas são muito poucas e com pouca audiência pois de maneira geral as pessoas não vêem RTP 2.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close