RTP

«Ministério do Tempo»: Napoleão Bonaparte chega a Portugal numa curta e secreta visita

Ministério do Tempo é uma série de televisão portuguesa que desde a sua estreia tem levado os telespectadores a viajar pelos quase nove séculos da História de Portugal. As figuras que mais marcaram o nosso país cruzam-se sem motivo aparente e vivem enredos inesperados. No episódio desta segunda-feira, que é transmitido a partir das 21 horas, o francês Napoleão Bonaparte é o protagonista.

Elvas, Natal de 1807. A irmã Maria de Santa Teresinha, superiora de uma congregação forçada pelos franceses a prestar auxilio às suas tropas durante as invasões, recebe a notícia de que Napoleão Bonaparte vai visitar o Forte da Graça. A religiosa não aguenta o choque e cai fulminada por um ataque cardíaco.

Lisboa, 2016. Salvador convoca a patrulha. Amélia, Pacino e Afonso são informados dos graves acontecimentos que se desenrolam em Elvas, em 1808. Ao contrário do que afirmam os historiadores, o Ministério do Tempo sempre soube de uma curta e secreta visita de Napoleão a Elvas, com o objetivo de supervisionar os avanços do general Soldano. Esta visita esquecida pela história tem uma importância fundamental para o Portugal que todos conhecem hoje. Foi durante a consoada de 1807 que a irmã Maria de Santa Teresinha convenceu Napoleão a indultar três prisioneiros portugueses, condenados por espionagem e condenados à morte. Um deles, Rodolfo Maia, é antepassado direto do Capitão Salgueiro Maia, um dos heróis do 25 de Abril.

Pacino, que viveu a revolução dos cravos, percebe a importância desta missão e quer partir de imediato. É necessário, primeiro, que alguém substituem a irmã Maria de Santa Teresinha. A escolha recaí sobre Maria dos Prazeres que, assim, vai pela primeira vez em missão. Amélia, Pacino e Maria dos Prazeres chegam a Elvas, em 1807. O primeiro francês com quem se cruzam é o Marechal Ney, que chegou ao forte pouco antes de Napoleão, para preparar a chegada do Imperador. Pacino trava conhecimento com o militar e fica, desde logo, surpreendido com a maneira como é tratado pelo francês.

Maria dos Prazeres não tem papas na língua. Odeia os exércitos napoleónicos e, como tal, começa por discutir com Ney. Assim que vê Napoleão, desentende-se também com ele. De repente, não só o salvamento de Rodolfo Maia parece impossível, como a própria vida de Maria dos Prazeres está em risco. Salvador manda Afonso em socorro dos amigos. Em 2016 outros planos entram em execução. Irene e Susana Meireles sentem que a sua hora chegou mas para isso têm que se livrar de Salvador.