RTP

Hugo Andrade reage à notícia de concessão da RTP

hugo andrade

A hipótese do serviço público televisivo ser concessionado a um privado tem estado na ordem do dia. Hugo Andrade, diretor de Programas do canal do Estado, não percebe porque se levanta a hipótese de concessionar a estação quando a mesma, segundo o próprio, tem sido um exemplo nacional de gestão de uma empresa pública.

«Continuo a trabalhar com os meios que me disponibilizam, mas o espírito na RTP é de apreensão. Obviamente que, principalmente nas pessoas que estão aqui há mais tempo, isto deixa um lastro de tristeza. Estas últimas notícias trazem apreensão às pessoas. Em 2002 devíamos €1200 milhões e se, nessa altura, tivessem aparecido com uma hipótese de concessão diria que não podíamos fazer nada. Mas desde essa altura, até agora, tivemos uma gestão exemplar e somos, talvez, a empresa pública que mais cumpriu nos últimos dez anos. Estamos quase a chegar à linha da meta e a vê-la muito próxima. Depois de limparmos as contas, reformulámos, estruturámos, reduzimos, mesmo às vezes penalizando a própria oferta… e é isto que sucede? As contas obrigaram-nos a ser mais comedidos e agora que estamos na linha da meta, vêm com esta hipótese que nunca esteve antes em cima da mesa…», disse Hugo Andrade à revista TV 7 Dias. A notícia da possibilidade da RTP ser concessionada a um privado deixou em choque aqueles que trabalham na estação: «Primeiro ficámos todos muito surpreendidos, depois assustados e a seguir muito tristes. Mas eu sou um pouco otimista nesta matéria e nestas questões todas e julgo que este não será o cenário com que vamos trabalhar de futuro. Nas últimas horas, a minha missão é tentar transmitir um pouco de tranquilidade aos meus colegas e, só depois de haver uma decisão, podemos ter todo o tipo de emoções. Mas neste momento estamos apenas a falar de um cenário, e tenho de pensar friamente, com a cabeça, e não com o coração. Quando penso com a cabeça,  sinceramente julgo que a RTP tem grande viabilidade e julgo que esta solução não irá ser tomada!», acrescentou à mesma publicação.

Em relação ao futuro, Hugo Andrade diz que «Neste momento garanto que a RTP consegue viver em 2013 com o dinheiro que vem da Contribuição Audiovisual e com os proveitos comerciais. Sendo assim, não existe nenhuma necessidade de envolver terceiros nesta situação e julgo que não vai acontecer. A informação é dada por um consultor do Governo (António Borges) e não pelo próprio Governo. E é essa mensagem que tenho estado a transmitir junto dos meus colegas. Aliás, estamos a trabalhar no cenário para 2013 e já está bem definido. Eu estou muito entusiasmado e esperançoso na solução que temos. Estamos mesmo na linha da meta e vemos, mesmo ali ao fundo, um futuro bom.», concluiu.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close