RTP

ERC abre inquérito sobre caso RTP

 

O presidente da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) afirmou ontem que o regulador vai ouvir todas as pessoas envolvidas na polémica de cedência das imagens da RTP, sobre os incidentes na manifestação, em frente ao Parlamento, a 14 de novembro.

Carlos Magno, depois de um encontro com o presidente da RTP disse aos jornalistas que “a ERC vai fazer um processo de averiguações e começar do zero”, não colocando de parte a hipótese de vir a ouvir elementos da PSP. Sobre a duração do inquérito, Carlos Magno afirmou: “Espero que seja rápido” e realçou que a sua preocupação é “defender o poder editorial”. Contou que a ERC recebeu uma carta aberta da Comissão de Trabalhadores que considera “uma participação não oficial, e um pedido para que a ERC se pronuncie”.

O presidente da ERC adiantou ainda, que teve acesso ao resumo do inquérito da RTP e que a ERC iniciou já a recolha de informação para que o inquérito arranque oficialmente na próxima terça-feira.

De recordar que o inquérito interno da RTP concluiu que o demissionário diretor de informação, Nuno Santos, autorizou a que “a PSP visionasse as imagens num sítio discreto que não no Arquivo”.