RTP

Contribuição Audiovisual e Publicidade são insuficientes para a RTP

RTP instalações

RTP instalaçõesAlberto da Ponte, presidente do Conselho de Administração da Rádio e Televisão de Portugal (RTP), considera que o operador público «precisa, no mínimo, de 200 milhões de euros por ano, para viver», segundo disse numa entrevista conjunta à rádio Antena 1 e ao Diário Económico, que foi hoje divulgada.

«A RTP tem de ter, forçosamente, para viver, umas receitas, no mínimo, da ordem dos 200 milhões de euros», declarou Alberto da Ponte, que cumpre agora quase um ano à frente do destino da empresa. Segundo avança o Diário de Notícias, o presidente da empresa confidenciou que precisa de acrescentar cerca de 20 milhões de euros aos cerca de 180 milhões oriundos das receitas provenientes da contribuição audiovisual e da publicidade.

A partir de 2014, como está previsto no plano do Governo, a RTP vai deixar de receber uma indemnização compensatória, e Alberto da Ponte considera que o serviço público a que a empresa está obrigada «está em perigo». «Estamos a tentar encontrar em conjunto com a tutela as soluções que permitam apetrechar a RTP com o financiamento necessário ao redimensionamento, e permitir executar com dignidade serviços tão importantes como o internacional», concluiu.

  • Filipe

    Claro que não chega!
    Não é a percorrer o país de lés a lés durante um verão inteiro, com apresentadores técnicos atrás, que se poupam verbas.

    Não é a contratar a Manuela Moura Guedes para apresentar um programa, quando se tem bons apresentadores a ganharem balúrdios e na prateleira.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close