RTP

“Bom Dia, em que posso ser útil?” hoje à noite na RTP 1

Hoje à noite não há Grande Entrevista, na RTP, mas a informação de qualidade a que a televisão pública tem habituado os seus telespetadores vai manter-se. Nesta quinta-feira o destaque vai para o documentário Bom Dia, em que posso ser útil?, que tem como foco a atividade dos “call center”… considerado para alguns como a “escravatura” do séc. XXI.

Sinopse:

A Ana ainda não perdeu a esperança de ser arqueóloga; a Maria do Carmo trabalhou uma vida nos lanifícios para acabar desempregada aos 44 anos; o Jaime já decidiu que vai ser dançarino e emigrar; o João adora o que faz e não pensa em mudar. Os quatro têm idades, percursos e projetos de vida diferentes, mas algo em comum: são todos operadores de “call center”.

A Ana, a Maria do Carmo, o Jaime e o João são alguns dos protagonistas de um documentário que nos leva ao mundo dos call centers portugueses, um mundo onde já trabalham cerca de 50 mil pessoas mas que é quase desconhecido de quem está “do lado de cá da linha”.

O “call center” é o equivalente tecnológico e “limpo” da “linha de montagem” fabril. Um assistente de call center pode passar 8 horas por dia fechado num cubículo a olhar para um computador, sem nenhum outro contacto com o mundo “cá de fora” senão um microfone e um par de auscultadores. Oito horas a dar informações, a resolver problemas – ou não! – a vender produtos, a fazer inquéritos; a ouvir desabafos, confidências e palavrões; a aturar de tudo: gente simpática, educada, malcriada, irritada e impaciente… Oito horas com um sorriso na voz!

Bom dia, em que posso ser útil? é um documentário da jornalista Margarida Metello, com imagem de Albano Espírito Santo, som de Carlos Vicente, edição vídeo de Mário Simões, pós-produção áudio de Carlos Nunes e produção de Ana Lucas. A não perder hoje à noite, na RTP 1.

  • Cmvelhinho

    boa tarde ! eu sou assistente de callcenter e detesto,só quem lá está é que sabe dar valor ,ontem vi a reportagem na RTP  e gostei só acho que deveriam ter focado mais o atendimento pois do que que vi a reportagem focava mais assistentes que fazem vendas que a meu ver é mais fácil ,é no atendimento que nós aturamos tudo …palavrões muitas vezes somos ofendidos e temos que ter sorriso na voz …de qualquer forma é de louvar que alguém se tenha lembrado de fazer uma reportagem sobre os callcenters pois é sem dúvida uma das profissões mais dificeis ….
    Célia Velhinho

  • Fazer Sentido

    É tão fácil ser jornalista online, com palavras envenenadas para criar impacto e trânsito no website… como se pode misturar no mesmo artigo os conceitos de “escravatura”, serviço a clientes, linhas de montagem fabril e televendas como sendo tudo a mesma coisa???
    Como se o espectro de funções realizadas por estes profissionais fosse muito diferente do que fazem os outros profissionais que o fazem atenderem na loja, no balcão, na estrada de visita aos clientes, etc… nessa altura já mudam todos os adjectivos, porque deixa de ser feito via electrónica? será que os problemas de atendimento ao cliente não são também vividos nas lojas e empresas? ou só porque estão num balcão já é tudo um mar de rosas?…

  • Tiagopinto2010

    Onde posso rever esta reportagem?

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close