RTP

Augusto Madureira afirma: “Fui insultado e ameaçado”

Augusto Madureira, autor de Há Dias Assim, a canção portuguesa no Festival Eurovisão da Canção, fez revelações surpreendentes à Notícias TV desta semana, confessando que houve momentos de tensão e conflito entre ele e o chefe da delegação da RTP, José Poiares.

Tudo começou nos primeiros encontros entre Augusto e a RTP, logo depois da vitória no Festival Da Canção. Face às preocupações e propostas de Augusto, tais como, a promoção externa da canção portuguesa e a preparação que iria ser feita à Filipa Azevedo face aos novos desafios “Muito rapidamente, o chefe da delegação da RTP para o festival disse-me que esses eram assuntos externos que não me diziam respeito e que eu só iria a Oslo como mero elemento de palco”, garante Augusto.

Mesmo assim, o jornalísta recusou assumir esse papel e promoveu o canção Há Dias Assim dentro das suas possibilidades: financiou um videoclip; organizou uma ida a uma festa pré-Eurovisão, na Holanda; e preparou um remix do próprio tema “Ao que me foi dito que estava a exceder as minhas funções e fui de novo colocado no meu lugar de elemento de palco. Tentei sempre ser o mais diplomata possível para que houvesse bom ambiente na delegação e engoli muitos sapos. Nunca esperei ser, nem pessoalmente nem como autor, tratado da maneira que fui. A única coisa que devo ter feito mal deve ter sido zelar pela canção que compus e que ia representar o meu país” desabafa.

Augusto conta que na chegada a Oslo “A Filipa ainda não tinha feito qualquer ensaio cénico. E eu próprio só experimentei a minha roupa pela primeira vez no hotel” e face a todos estes atrasos foi-lhe dito que “Os ensaios serviam precisamente para ver o que se ia fazer. E eu duvido que algum país tenha chegado ao palco de Oslo sem ter feito o trabalho de casa. Isso mete-me pena”

Com isto o ambiente entre a comitiva azedou bastante, ainda para mais, depois da ameaça de agressão que Augusto alega ter vindo a sofrer: “Eu fiquei boquiaberto quando na véspera do segundo ensaio, em Oslo, o chefe da delegação me ameaça de agressão, em termos que eu me escuso a reproduzir, e se dirige a mim de uma forma insultuosa, como nunca ninguém me tinha falado e como ninguém merece ser tratado” alegou o autor da canção.

A própria Notícias TV noticía que Filipa Azevedo chegou a chorar por duas vezes na sequência das palavras do chefe da comitiva, que contactado pela revista, não atendeu o telefone até ao fecho da edição.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close