RTP

As diferenças entre “MasterChef Portugal” e a versão australiana

Masterchef-logo

É já em julho que chega aos ecrãs da televisão pública a versão portuguesa de um dos programas mais bem sucedidos em todo o mundo, com passagem por países como Israel, Noruega, França, Grécia, Malásia, Irlanda ou Holanda, entre muitos outros.

Todavia, tal como é habitual, o formato sofrerá várias alterações, nesta adaptação à realidade portuguesa. A revista Mariana conta algumas dessas mudanças:

Uma das grandes diferenças em relação ao formato australiano, aquele que é o mais conhecido em território luso, por ser transmitido pela SIC Mulher começa pelo prémio final. Por cá será de 25 mil euros, enquanto que na Austrália o prémio é de 100 mil dólares, perto de 75 mil euros.

Já o número de finalistas também é diferente. Por cá apenas 14 terão direito ao passaporte final, enquanto em território australiano há 20 pessoas candidatas a chef nas emissões do programa.

O décor também será muito diferente. Por cá os pratos serão confecionados, não no armazém que dá a cara pelo formato à frente do júri, mas sim numa cozinha preparada pela produção. E será mesmo neste espaço que Sílvia Alberto acompanhará os concorrentes, algo que não acontece no formato australiano, até porque não tem apresentadora.

Por último, e de acordo com uma fonte contatada pela referida revista, o MasterChef Portugal não terá os habituais chefs de renome convidados todas as semanas.

  • João Rodrigo

    Ou seja, adivinha-se uma versão portuguesa pobre… Enfim, como se costuma dizer, dão nozes a quem não tem dentes! E o programa até é de culinária e tudo…

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close