RTP

Apresentadores da RTP sofrem cortes nos salários

Nove meses depois de terem sido aplicados cortes nos ordenados funcionários da televisão pública, é a vez de os contratados em exclusividade também verem os seus salários revistos e com algumas reduções, anuncia a Notícias TV desta semana.

“É obrigatório que todos tenham cortes de pelo menos 10%”, revelou uma fonte conhecedora do processo à referida publicação, acrescentando que estão previstas revisões de contratos “com cortes superiores a 10% e isso depende da contribuição do apresentador para a estação”.

Marta Leite Castro é um dos exemplos. O vínculo da cara do Só Visto e que passará a conduzir o Cinco Sentidos terminou recentemente e foi renovado, não por três anos, como era comum, mas apenas por dois e com uma redução “acima dos 10%”. Ainda assim, a comunicadora recusou-se a comentar estes números: “Não vou falar de cortes na minha contratação publicamente”, explicou.

Mas não é apenas Marta Leite Castro a sofrer com esta redução de custos. Fernando Mendes, cujo vínculo com a RTP termina no final deste ano, também será um dos visados, bem como Sílvia Alberto, cujo contrato finda na mesma altura. Já em 2012, serão José Carlos Malato, em Abril, Catarina Furtado, em meados de Junho e Jorge Gabriel e João Baião, em Novembro, a sentarem-se à mesa com os responsáveis da RTP para discutirem pormenores sobre os novos vínculos.

Confrontado com estas notícias, Hugo Andrade explicou: “Não estamos a fazer negociações de contratos extraordinárias. O que estamos a fazer é a aplicar a lei sempre que renegociamos”, começa por dizer, não confirmando contudo os valores dos cortes: “Não sou a pessoa mais adequada para falar nisso, eu não trato dos contratos”, concluiu o diretor de programas da RTP.