RTP

Alberto da Ponte só decide o caso «Nuno Santos» depois do parecer do advogado instrutor

Alberto da Ponte

Alberto da Ponte

Alberto da Ponte diz que os pareceres do Conselho de Redação e da Comissão de Trabalhadores da RTP, que defende a inocência do ex-Diretor de Informação da RTP no caso das imagens, «devem ser respeitados», mas frisa a deontologia nas relações de trabalho.

O Presidente da RTP, que está a acompanhar o ministro Miguel Relvas na visita oficial a Moçambique, foi confrontado com os pareceres, que garantem que Nuno Santos não pode ser culpabilizado no processo disciplinar, na sequência do acesso às imagens que a PSP teve da manifestação de 14 de novembro, nas instalações do canal público.

Na opinião de Alberto da Ponte, os «pareceres são coisas normais», visto ser um ato «deliberado» que «deve ser respeitado» e em que todos «estão de acordo que aconteceram coisas que não deviam ter acontecido». «Vamos ver o que diz o parecer do advogado instrutor e depois tomaremos a decisão», disse em declarações à RTP, afirmando que a decisão deverá ser tomada no prazo de um mês.

Alberto da Ponte recordou que «as relações de trabalho têm a sua deontologia e deve ser respeitada».

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close