RTP

Alberto da Ponte considera que Sócrates na RTP serve dois propósitos

Alberto da Ponte

Alberto da Ponte

Em entrevista à TSF e ao Dinheiro Vivo, Alberto da Ponte, presidente da RTP admite que reagiu com «surpresa»  à contratação do ex-primeiro ministro como comentador político da estação.  O responsável,  confirmou que a ideia partiu da direção de informação, liderada por Paulo Ferreira e confessa que quando foi informado, se questionou: «até perguntei: é o José Sócrates?».

Para  Alberto da Ponte a decisão de «chamar» José Sócrates para a análise política do primeiro canal do grupo de televisão detido pelo Estado pode ser considerada  «ousada», mas admite que os comentários servem dois propósitos: o de serviço público e ainda para trazer audiências à estação.

«É evidente que eu tenho sempre que assinar o contrato. Neste caso, foi fácil assinar o contrato porque o seu custo é zero», e acrescenta: «os parâmetros que a direção de informação tem que cumprir são de duas ordens: as regras estabelecidas do serviço público de audiovisiual e ajustar-se à capacidade orçamental da empresa». E qualquer um dos critérios estava «perfeitamente preenchido», esclarece.

Depois da entrevista em O Fim do Silêncio em que o antigo dirigente socialista concedeu a primeira entrevista depois da derrota nas eleições, o antecessor de Pedro Passos Coelho como líder do Governo, vai estrear-se nos comentários semanais ao lado de Cristina Esteves a partir de 7 de abril na RTP, estação que o  Presidente, Alberto da Ponte, considera que tem que ser a «mais isenta» das televisões em Portugal .

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close