«Sol de Inverno»: resumo de 4 a 10 de novembro

51º Episódio

Eduardo protesta com os polícias dizendo que é indecente estarem a prendê-lo. Um dos agentes responde que indecente era o que ele estava a fazer dentro do carro com a prostituta e aconselha-o a, se estiver arrependido, manifestar esse estado de espírito perante o juiz que o vai ouvir.

A caminho da mesa do pequeno-almoço, Teresa conta a Laura que já está mais habituada a fazer hemodiálise enquanto dorme durante a noite e convence a mãe a deixá-la regressar ao trabalho na Boheme. Laura confessa que tem sentido a falta dela. Agastada, tem de levantar-se e ir à mala atender o telemóvel que começou a tocar. Dulce entra na sala e cumprimenta Teresa, servindo o sumo. Ambas ficam alarmadas porque Laura lança um grito de incredulidade com o que ouve e vai refugiar-se na biblioteca para estar mais à-vontade. Teresa segue a mãe que está visivelmente nervosa a falar com o director de uma revista a quem promete a compra de um ano de publicidade a troco de não publicarem que Eduardo foi preso por ter sido apanhado em flagrante com uma prostituta. Teresa fica siderada quando percebe o que se passou e Laura garante que vai acabar com os devaneios do filho. Para já, avança para pedir aos seus advogados que tratem do assunto com discrição.

Andreia toma o pequeno-almoço com Filipa no bar da praia e confessa estar farta de trabalhar no restaurante como relações públicas. A amiga e agente conta-lhe, com a maior delicadeza, que a agência de modelos decidiu dispensá-la. Andreia não se controla e chora desesperada.

Adelino acorda mais tarde e surpreende Beatriz por não ter ido trabalhar. O pai conta que lhe apeteceu ficar mais um pouco na cama insistindo na ideia de que está a chocar uma gripe. Beatriz sugere-lhe que vá buscar Sofia ao aeroporto e Adelino esboça um sorriso amarelo, mostrando um falso interesse no assunto. Fica agradado quando Beatriz partilha que vai tomar um café com Isabel, vincando que já é tempo de não ficar fechada em casa.

Ana leva um requeijão e doce à mãe e ao falar de Vasco, assume que consigo é tudo ou nada, para justificar ter pedido a guarda total do filho. Enquanto a mãe vai guardar o que ela acabou de lhe levar, Ana abre uma gaveta e depois de a remexer rouba umas chaves que lá encontra.

Rita fica possessa ao ouvir Horácio dizer a Isabel que as funcionarias estão contentes por ela ter assumido a chefia das gaspeadeiras. O encarregado acrescenta que está perto da reforma e que ela é a mais qualificada para assumir o seu lugar. Isabel, modesta, diz que nem quer pensar nisso de momento.

Fábio vai para conversar com Célia mas ela rejeita-o com o argumento que está a trabalhar e que embora seja amiga de Isabel, tem de a respeitar como sua chefe. O rapaz acaba por ceder e ir embora, enquanto Isabel se aproxima de Célia e esta lhe confirma que está decidida em esquecer Fábio, pois não lhe perdoa por ele ter andado aos beijos com Rita.

Simão esmera-se para fazer bem os arranjos de flores e Nuno, para não o magoar, diz que não estão mal. Enquanto o namorado vai buscar comida, Nuno fica sozinho com Manel que lhe leva a escrita da loja devidamente organizada e aproveita por desabafar que Simão não tem mesmo jeito para aquele trabalho. Manel confessa ao cunhado que ficou preocupado por Vasco lhe ter dito que não gosta das discussões que ele e Ana têm tido por sua causa. Nuno conta ao cunhado que a irmã lhe pediu para ser sua testemunha em tribunal mas que recusou por não concordar que ela queira a guarda do filho só para ela.

Se encontrou algum erro, selecione e pressione Shift + Enter ou clique aqui para nos informar.