Resumos

«Dancin’ Days»: resumo de 26 de agosto a 1 de setembro

Resumo Dancin' Days

Resumo Dancin' Days

Resumo de 26 de agosto a 1 de setembro de Dancin’ Days.

312º Episódio

Júlia tenta acalmar Mariana, que chora convulsivamente, na incerteza de como a filha se encontra no interior do colégio. Raquel chama a irmã à razão, vincando que ela não devia ter saído de casa. Mariana manda a mãe embora, receosa de que ela possa vir a ser presa, mas Júlia mostra-se indiferente. Raquel pede à irmã que ligue do seu telefone para o advogado, sugestão que ela aceita.

Teresa assiste pela televisão ao desenrolar do sequestro no colégio, angustiada sem notícias da neta. Bernardo aproxima-se dela e desculpa-se para se ausentar, dizendo que tem um cliente à espera. Ela nem lhe liga e apenas concorda com a sugestão do marido, quando este a aconselha a tomar um calmante. Bernardo recomenda a Clara que dê o medicamento à mulher e que o avise se ela decidir sair de casa para ir ter com o filho ao colégio de Carolina. Quando a empregada se aproxima dela, Teresa grita que não precisa de qualquer remédio e fixa-se outra vez na televisão.

Júlia conversa ao telefone com o seu advogado e justifica-se por ter saído de casa sem autorização judicial porque teve o impulso de apoiar a filha. Filipa chega nesse momento e abraça Gui, que confessa nada saber da filha, chorando nos braços da companheira. Duarte atende a chamada de Teresa e responde-lhe que Gui não a pode atender, recomendando à mãe que não vá ter com eles à escola porque está tudo uma grande confusão.

No centro comercial, o sequestro no colégio de Carolina é tema de conversa e preocupação. Isabel teme pelas crianças, Nicole atira que os portugueses estão a ficar com os americanos, Cátia culpa quem permite que as pessoas tenham armas em casa. Ivo decide começar a distribuir abraços e atira-se a Cátia que o repele. Luísa grita com ele repreendendo-o, enquanto Nicole diz não compreender o que leva um homem a sequestrar crianças. Cátia afirma que são sempre os homens a cometer esses crimes e Ivo chama-lhe sexista. Cristóvão garante que ela está certa e recorre à estatística para o provar. Os dados são rebatidos por Nicole e Isabel afasta os maus pensamentos, convicta de que nada de mal vai suceder às crianças.

Sónia mostra a loja a Wilson e usa a sua melhor técnica de sedução, assim que percebe que se trata de um angolano de sucesso. O rapaz escuta-a com elegância e acaba por convidá-la para jantar. Sónia começa a ver em Wilson a sua grande oportunidade de ficar bem na vida.

Hernâni, Urbano e Alberto encontram-se à porta do ginásio e comentam o assunto do momento. Hernâni acha que a família de Mariana e Gui tem de ir à bruxa. Alberto lembra que já numa outra ocasião Carolina tinha sido raptada e Urbano interroga-se como pode acontecer uma tragédia como a que se está a verificar. Alberto muda de assunto e pergunta a Urbano o que é feito de Sebastião. O amigo esquiva-se a contar a verdade, mas garante acaba por confessar que o rapaz teve uma recaída. Alberto afirma, prontamente, que tem de falar com Vera e Hernâni pergunta se sempre vão jantar com a investidora alemã que está a negociar com eles. Alberto garante que isso não será um problema, pois já toda a gente sabe em sua casa o que aconteceu no colégio. Os dois sócios contam a Urbano que Ângela é uma mulher terrível.

Em casa da família Galvão o sequestro no colégio é seguido através da televisão, numa altura em que os pais das crianças começam a ficar mais ansiosos, dificultando a ação da polícia. Inês olha para o ecrã e pergunta meio alucinada se alguém viu Duarte. Áurea nem ouve o que a filha diz e reclama uma atuação mais enérgica das forças policiais, temendo que o sequestrador esteja a fazer mal às crianças. Ester comenta que as autoridades sabem o que estão a fazer. De repente, Vera diz espantada que acaba de ver Júlia na televisão e todas ficam preocupadas, pois sabem que ela não pode sair de casa por estar detida com pulseira electrónica. Áurea exclama que se fosse consigo também tinha saído de casa. Nesse momento, o jornalista que faz a reportagem informa que existe uma movimentação no interior do colégio.

No local, Duarte grita que a porta do colégio se está a abrir. A tensão aumenta e a polícia toma posição. De dentro surge Manuel com uma pistola que encosta á sua própria cabeça, dando a ideia de que se vai suicidar. Nesse momento, a mulher do sequestrador irrompe por entre a multidão e grita-lhe que pare. Manuel balbucia que sente muito a falta do filho que perderam e ela consegue evitar que ele se mate, argumentando que se já perderam a criança, não podem perder-se também. Manuel acaba por baixar a pistola e é algemado pelos agentes. A sua mulher certifica-se de que ele não magoou as crianças e Mariana pede para ir buscar Carolina. Um dos polícias manda-a aguardar.

Na sua casa, Teresa respira fundo e pede a Clara que lhe dê o calmante que não tinha querido tomar.

A polícia entrega Carolina a Mariana que a abraça, rodeada por Júlia, João e Raquel. Gui senta-se no chão e é abraçado por Filipa. Raquel diz a Júlia que tem de ir para casa e Mariana insiste com a mãe para que vá embora, pois não se perdoaria se ela tivesse mais problemas com a justiça. Duarte intervém e sossega Mariana, convicto de que o advogado explicará às autoridades as circunstâncias que levaram Júlia a sair de casa sem autorização judicial. Júlia e Raquel afastam-se e Duarte fica a observá-las. Mariana convida Gui e Filipa para irem tomar um chá a sua casa. Gui aceita e Duarte pede ao irmão que telefone à mãe, pois Teresa estava muito preocupada e não vai descansar enquanto não falar com ele.

Bernardo garante a Paula que vai deixar Teresa mas pede-lhe tempo para se divorciar. Rui aproxima-se deles, fazendo com que a conversa fique por ali. O menino pensa que Bernardo é seu tio e convida-o para ir assistir aos seus jogos de futebol. O pai confessa que não percebe muito do jogo mas Rui dispara que não faz mal porque lhe vai explicar tudo. Bernardo e Paula riem-se, divertidos.

Ivo desenvolve mais uma das suas teorias e esclarece Cristóvão e Cátia que se o sequestrador tivesse sido mais abraçado em criança, não tinha feito o que fez. Ivo quer implementar a sua terapia do abraço e explica que foi por isso que os quis abraçar, logo que percebeu que não estavam com boa aura. Cristóvão não se deixa distrair com a conversa e obriga Ivo a pagar os amendoins que consumiu, comentando que ele está cada vez mais maluco.

Já a sós com Cátia, Cristóvão admite que poderá voltar a ser seu amigo, mas avisa-a para não se aproximar de Matilde, nem que fale consigo quando a namorada estiver por perto. Cátia reconhece com tristeza que está a colher o que semeou.

Isabel telefona a Mónica e diz que só lhe apetece abraçá-la porque apanhou um grande susto. A filha chama-lhe lamechas. Nicole sai da loja, contente pelo facto do sequestrador não ter feito mal às crianças que manteve presas no colégio. Hernâni afirma que sempre confiou nas autoridades que estão habituados a lidar com a pressão, tal como ele estava quando era segurança ali no centro comercial. Nicole revira os olhos, enjoada com a prosápia do marido e comenta com Isabel que as crianças até podem ficar traumatizadas. A amiga duvida porque acha que elas ainda são pequeninas.

João conta a Mariana, Filipa e Gui que a educadora de Carolina informou que o homem que sequestrou as crianças era o pai de um menino que morreu afogado numa ida à praia com a escola e que, por ser o quinto aniversário da sua morte, Manuel cometeu aquele ato irrefletido. Gui assume que a sua confiança no colégio está abalada, enquanto Mariana, ainda não refeita do susto, defende que o homem deve ficar preso.

Duarte vai buscar Martim a casa de Ester e Inês fica transtornada quando o ouve dizer que está preocupado com Júlia. Duarte conta que o advogado de Júlia vai explicar à juíza que ela saiu de casa sem autorização devido ao sequestro da neta. Inês pergunta-lhe quando é que tenciona levar outra vez Martim para a ver, provocando a estranheza de todos. Duarte faz menção de ir embora com o filho e Inês aproveita para dizer à mãe que podem descer com eles. Áurea hesita mas acaba por concordar. Ester deixa-os ir embora e pergunta a Vera se reparou no estado em que Inês ficou quando Duarte falou de Júlia. A sobrinha acha que essa situação nunca irá mudar.

O advogado de Júlia consegue que a juíza não a castigue, pois a magistrada seguiu o sequestro em direto na televisão e compreendeu a angústia que ela sofreu por causa da neta. No entanto, Alves Cardozo avisa que o incidente vai constar do processo e pede-lhe que nunca mais saia de casa até ao julgamento, caso contrário arrisca-se a ir parar a uma cela.

Bernardo regressa a casa e Teresa recebe-o com frieza, zangada por ele não lhe ter atendido as chamadas. O marido desculpa-se dizendo que tinha o telefone no silêncio porque estava numa reunião. Teresa desabafa que lhe custa não estar ao pé dos filhos nos momentos delicados e Bernardo sai em sua defesa dizendo que a culpa não é dela. Quando Bernardo pousa o telemóvel em cima da mesa, Teresa fica desconfiada.

Duarte conta a Mafalda que o colégio de Carolina foi palco de uma grande confusão, enquanto o sequestrador não se rendeu e que foi forçado a falar com a mãe, reconhecendo que já não se recordava da sua vos irritante. A namorada pergunta como correu a conversa com Inês e ele mostra-se chocado por ela ainda não conseguir tocar em Martim. De seguida beija Mafalda, ao mesmo tempo que lhe pede para tomar conta do filho, pois gostava de ir ver a sobrinha ao hotel.

Ivone vai jantar a casa de Ester e Alberto e insiste que ali está em trabalho, prevenindo que nessas circunstâncias não devem beber álcool, para não haver relaxamento. A alemã não se cansa de fazer perguntas sobre aquilo que cada um faz na vida e desvaloriza a atividade de toda a gente. A Nicole trata-a com crueza por manicura quando ela diz que trabalha na área da estética e acha que Ester não faz nada por ser dona de casa. No entanto dá-lhe algum valor, quando ela revela que organiza a contabilidade do negócio dos vinhos. Ivone dispara que já sabia que esse trabalho não é feito por Alberto e Hernâni, pois são dois despistados. Nicole causa constrangimento geral quando diz que a acha parecida com alguém, pensando em Ângela Merkl, a governante da Alemanha. Hernâni abre os olhos e Alberto disfarça. Vera salva a situação quando anuncia que o jantar está pronto. Ester mantém sempre a sua habitual simpatia.

Inês embirra queima-se com a sopa e embirra com Áurea, apesar de a mãe a ter avisado que estava quente. Logo a seguir pergunta se ela acha que Duarte reparou no facto de ela ainda não conseguir pegar em Martim, mas a mãe tenta tranquiliza-la ao responder que toda a gente sabe do seu problema. Inês tamborila nervosamente no joelho e Áurea percebe que está muito enervada. A filha diz que tem de falar com Duarte para encerrar esse capítulo na sua vida e pergunta se a mãe acha que Júlia ficará presa por ter saído de casa sem permissão. Áurea duvida que a juíza não compreende a sua motivação e Inês destila raiva e diz que com ela toda a gente é muito compreensiva. Pouco depois compreende o seu excesso e pede desculpa.

Artur surpreende Júlia e regressa mais cedo a casa, pedindo desculpa por não ter estado ao seu lado num momento tão difícil como o sequestro da neta. Júlia liberta finalmente a pressão e chora convulsivamente nos braços do marido.

Nonô repreende Lucas por não lhe ter ligado nenhuma enquanto esteve em Berlim e exige-lhe que diga de uma vez se quer acabar o namoro com ela. Lucas não tem coragem para dizer o que lhe vai na alma e desculpa-se, justificando que não a quis magoar e que não falou com ela porque estava concentrado na competição. Mariana e João regressam da cozinha com os cafés e põem travão à discussão. Mariana conta que a ex-sogra a surpreendeu ao enviar-lhe uma mensagem de solidariedade, depois do incidente que envolveu Carolina, mas não acredita nas boas intenções de Teresa, pois acha que ela quer a sua ajuda para ver a neta, já que Gui não lhe liga nenhuma.

Bernardo desce para a sala depois de ter tomado banho e vê que Teresa tem o seu telemóvel na mão. Ela dispara com a sua habitual altivez que esteve a ver as mensagens que ele mandou á mãe do filho. Bernardo contém a raiva e retira-lhe o telefone da mão, com delicadeza. Teresa olha-o fixamente nos olhos e pergunta ao marido se anda a traí-la. (conclusão)

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close