Geral

Saiba quanto ganham as principais estrelas da televisão nacional

Tem-se vindo a falar, nos últimos tempos, nos cortes de ordenado e no fim dos contratos de exclusividade na televisão nacional. E nenhum dos principais canais, RTP, SIC e TVI, deixaram de adotar medidas de contenção para continuarem na corrida pelas audiências. Há quem tenha mesmo visto o seu ordenado descer, mas no meio audiovisual, há também quem saia privilegiado.

Na RTP, o caso mais flagrante de corte de ordenado é o de Catarina Furtado: a apresentadora passou a ganhar menos 30% do que ganha antes do término do seu contrato (e renovação), ou seja, passou a auferir €24 000. Tanto a SIC como a TVI optaram por fazer cortes nos ordenados, entre 10 e 20 porcento, sendo que os afetados vão desde os profissionais da área do entretenimento, passando pelos da ficção até aos da informação. Na TVI, José Alberto Carvalho (€31 500) e Judite Sousa (€27 000), da Direção de Informação da estação, decidiram sofrer um corte de 10% no seu ordenado para darem o exemplo.

Mas no meio de tantos cortes há quem vá escapando e Manuel Luís Goucha (€40 000), Cristina Ferreira (€25 000) e Fátima Lopes (€35 000), da TVI, são exemplo dessa realidade. Na ficção, Rita Pereira, da mesma estação, subiu até o seu ordenado (de €8 000 passou a ganhar €9 000) e José Carlos Pereira (TVI) faz também parte da lista dos privilegiados com um salário mensal de €11 000, tal como Cláudia Vieira, da SIC, que recebe €22 500.

Na ficção da TVI, criou-se um teto salarial, onde uma grande parte dos atores não ganha mais de €3 500: «Atrizes e atores como a Mariana Monteiro, o Diogo Amaral, a Sofia Ribeiro, a Sara Prata, a Sara Matos, entre outros, foram afetados por esta medida.», revelou uma fonte do meio à revista da TV Guia. Todos aqueles atores enumerados ganham os tais €3 500. Estes cortes afetaram, também, os contratos de exclusividade e, na na estação de Queluz de Baixo, muitos dos atores que tinham um vínculo à estação, deixaram de o ter: «Primeiro eram 92, entretanto desceram para 86 o número de atores com exclusividade e o objetivo é conseguir ter apenas 23», revelou a mesma fonte àquela publicação.

Na lista das estrelas da televisão nacional que sofreram um corte salarial, para além dos já divulgados, estão, segundo a mesma revista, Júlia Pinheiro (€31 500, SIC), Fernando Mendes (€18 500, RTP1) e Diana Chaves (€18 000, SIC). No canal um da estação pública, há muitos apresentadores de primeira linha que não recebem mais de €18 000: José Carlos Malato (€18 000), Jorge Gabriel (€16 200), João Baião (€13 500), Sílvia Alberto (€13 500), Sónia Araújo (€12 600) e Tânia Ribas de Oliveira (€9 000).