Geral

RAI criticada por organizações por preparar «reality show humanitário»

Foto: Diário de Notícias
Foto: Diário de Notícias
Foto: Diário de Notícias
Foto: Diário de Notícias

A RAI, estação pública italiana, vai conduzir um programa que se intitula Mission, em que oito celebridades irão para um campo de refugiados. No entanto, nem toda gente o recebeu bem, já que houve queixas de organizações que consideram o mesmo «pornografia humanitária».

A organização não governamental (ONG) Solidarietà e Cooperazione CIPSI (Coordinamento di Iniziative Popolari di Solidarietà Internazionale) não concorda com a realização deste programa: «Esta dura realidade […] não pode ser objeto de espetáculo, levado ao limite da pornografia humanitária», afirmou o presidente da ONG Guido Barbera.

Além desta crítica, duas petições online já foram criadas para não emitir este programa. No entanto, a RAI considera que esta é uma boa oportunidade de «dar a conhecer estas situações através de rostos conhecidos», sempre colaborando com inúmeras organizações, avança o Diário de Notícias. A mesma perspetiva tem o Alto Comissariado das Nações Unidas para os refugiados, presidido por António Gueterres, e a ONG Intersos.

A imprensa italiana apelida-o de «reality show humanitário» e irá para o ar no dia quatro de dezembro, na RAI1. Os locais em que os famosos irão estar são Mali, Sudão e Congo. A par disto, a BBC e a FranceTV também já compraram os direitos do mesmo.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close