Geral

Privatização da Lusa adiada

Agência Lusa

O programa do Governo dizia que «o Estado alienará a sua participação no capital [da Lusa] a operadores privados em momento oportuno», não referindo a data para tal acontecer. A Controlinveste, de Joaquim Oliveira, detém 23,4% da agência e a Impresa, de Francisco Pinto Balsemão, 22,4%. O Governo não deverá alienar a sua posição de 50,14% na agência, pelo menos no próximo ano, visto que será em 2013 que entra em vigor o novo contrato com a empresa (que durará até 2015).

Em 2013, a agência deverá receber 13 milhões de euros, contra os mais de 19 milhões que recebeu este ano (terá um corte de seis milhões de euros, cerca de 30%). Contudo, desses 13 milhões, cerca de três milhões são devolvidos ao Estado, através do pagamento do IVA, adianta o jornal Correio da Manhã.

Os trabalhadores da Lusa, que ontem reuniram em plenário, decidiram «rejeitar liminarmente qualquer redução arbitrária das verbas destinadas a compensar o contrato-programa do Estado com a Lusa», tendo solicitado reuniões, «com carácter de urgência», ao Presidente da República, Cavaco Silva, à presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, aos ministros Paulo Portas e Vítor Gaspar, assim como à Comissão de Ética e aos grupos parlamentares. Foi ainda solicitado aos sindicatos que representam os trabalhadores da Lusa a emissão de um pré-aviso de greve por tempo indeterminado (a 9 de Outubro será decidida a data e a duração da greve).

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close