Geral

Meo e Zon podem fornecer dados de audiência ao lado da GFK

audiencias

audiencias

 O mercado audiovisual em Portugal tem gozado de alguma estabilidade, depois da Comissão de Análise e Estudos do meio, a CAEM, ter confirmado a credibilidade e o bom funcionamento da medidora oficial de audiências em Portugal – a GFK. Contudo, algumas entidades como a RTP e a TVI, têm mantido uma insegurança em relação ao painel da empresa alemã, defendendo uma nova auditoria.

Conforme avança o Correio da Manhã, como medida para garantir a validação dos dados, Octávio Ribeiro, diretor da CMTV, propôs às duas principais operadoras de televisão por cabo, Meo e Zon, que fornecessem os dados audiométricos que recolhem, que sendo coincidentes, e como afirma António Casanova, poderiam dar «conforto, para saber que o painel está a produzir bem», se se comparassem os três. No entanto, as duas empresas, líderes no mercado, por sua vez recusaram responder à sugestão, não deixando de a considerar, se esta fosse levada a reunião na CAEM.

Por fim, António Casanova esclarece que a Zon e a Meo produzem dados de audiência, mas para uso comercial, necessitariam dos valores da GFK, que «aceita qualquer decisão da CAEM», como «dados sociais, cortes etários e geográficos (…)» entre outros, cabendo apenas às empresas a opção de as disponibilizar, uma vez que «os tratam como segredo comercial».

Sem a concessão das operadoras, cabe apenas à GFK e à CAEM a validade dos dados, aguardando por alguns pontos que a RTP e a TVI irão apontar como factores que necessitam de ser verificados. Recorde-se que as duas estações de televisão rescindiram formalmente com a comissão, quando por 85% dos integrantes recusou a auditoria.

/* ]]> */