Geral

Jornal “Expresso” prescinde de Mário Crespo

O semanário decidiu prescindir dos textos de opinião de Mário Crespo, e considera que o rosto do Jornal das 9 da SIC Notícias cometeu muitos “erros e falsidades” com as acusações que fez ao “Expresso”. Segundo o jornal Público, a nota publicada na mesma página da crónica de Crespo é assinada por todos os 6 diretores da publicação e conta com o apoio unânime do conselho de Redação do jornal. Na mesma nota pode ler-se que Mário Crespo foi alertado por um diretor acerca do conteúdo da crónica, mas que, ainda assim manteve o texto. Motivo pelo qual a mesma foi publicada, mas com o fim da colaboração entre o autor e o jornal.

A crónica escrita pelo jornalista na edição de sábado passado, intitulava-se “Uma questão de rigor” e  criticava o “Expresso” pela recusa em relação a uma resposta de Luís Marinho, director-geral da RTP, a um texto de Miguel Sousa Tavares onde era visado. Mário Crespo escreve também que Luís Marinho foi alvo de “uma estranha acusação feita com grande destaque”, e que a sua resposta foi “remetida para uma remota secção de ‘Cartas do Leitor’ onde recebeu um palavroso contra-ataque”. A direcção do jornal considera por seu lado que a atitude de Crespo “revela má-fé e configura uma deslealdade surpreendente”.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close