Geral

Direitos de TV concentrados na Liga podem triplicar verbas pagas aos clubes

Liga Zon Sagres Logo

Mário Figueiredo,  presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) defendeu esta semana na Assembleia da República a centralização dos direitos televisivos dos campeonatos naquele organismo num cenário de abertura da concorrência, que a concretizar-se «poderá duplicar ou mesmo triplicar» as verbas pagas aos clubes, baseando-se num estudo económico pedido pela liga a uma empresa britânica.

Durante a Comissão de Educação, Ciência e Cultura, o presidente da LPFP explicou que atualmente os direitos de transmissão são vendidos individualmente a um único operador, a Olivedesportos.

Mário Figueiredo criticou o sistema de monopólio, considerando que tal sistema viola as regras da concorrência. «Esse operador tem influência decisiva no mercado e detém participações em alguns clubes e na empresa que explora os direitos de televisão», referiu, lembrando que «o Livro Branco do desporto da UE recomenda a centralização nas ligas».

Perante os deputados da comissão,o  presidente da LPFP reiterou a intenção de apresentar queixa à Direcção Geral de Concorrência da Comissão Europeia, de forma a conseguir uma abertura do mercado, e defendeu que «numa situação de mercado aberto, os clubes auferem mais« e os consumidores também sairão beneficiados, com uma possível colocação dos direitos a leilão que não permitam que um só operador adquira todos os direitos e que os prazos não sejam superiores a três anos.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close