Geral

Aguinaldo Silva: “As novelas brasileiras perderam interesse”

Ele é um dos maiores autores da Globo, contando com 31 anos de serviço, mas nem por isso mete a cabeça na areia. Quando a ficção brasileira atravessa o seu pior período (lá e cá…), Aguinaldo Silva coloca o dedo na ferida.

aguinaldoO escritor que se assume quase tão português como brasileiro, tem casa em Lisboa e admite que um dia poderá mesmo vir viver para cá.

Em entrevista à ‘Notícias TV’, afirmou já ter sido convidado para fazer uma novela em Portugal, mas não pôde concretizar esse projecto por ter contrato de exclusividade com a Globo (que acaba em Junho de 2010, estando só a partir daí, livre para novas ofertas).

O autor admite, na mesma entrevista, que a Record veio destruir a forte ligação que existia entre a Globo e os brasileiros: “A Globo nunca voltará a ter nunca mais aquelas audiências estrondosas de 60 pontos, que já teve. A audiência vai ser muito mais fragmentada. E isso é muito bom. É um sinal de maturidade do mercado. E para a Globo também vai ser bom, porque vai obrigá-la a ser mais criativa e ágil. Porque naquela casa ainda trabalham os melhores profissionais. É só colocar aquela gente a trabalhar…”

Relativamente à ficção portuguesa, Aguinaldo considera “que as novelas atingiram um patamar muito alto. Produção, direcção, texto. E os actores portugueses têm já uma representação muito naturalista. Mas a novela portuguesa não vai existir como um factor de mobilização nacional em Portugal, como foi no Brasil, enquanto não se fizer um ‘Roque Santeiro’ português. Ou seja, uma novela que fale do Portugal que está no inconsciente colectivo. Um Portugal que todo o mundo sabe que existe, mas que não se vê nas novelas portuguesas. É o Portugal profundo, o Portugal rural. Todo o mundo aqui tem um pé na aldeia. Falta esse Portugal nas novelas portuguesas. E não estou a falar de cor, eu vejo muitas novelas portuguesas. Eu procuro ver todas. Gosto muito da novela do Rui Vilhena, ‘Olhos nos Olhos’. Gosto menos da que a antecede, a ‘Flor do Mar’. Acho menos interessante, embora ela busque exactamente essa ruralidade na Madeira (…) Falta verdade nas novelas portuguesas.”

No que diz respeito à actual realidade das novelas brasileiras o autor de ‘Tieta’ afirma “Temos de ser honestos. As novelas brasileiras perderam interesse. Há muito tempo que não se faz no Brasil uma grande novela. A ‘Senhora do Destino’ foi uma boa novela minha, mas tenho consciência de que as minhas novelas rurais (‘Pedra sobre Pedra’ e ‘Indomada’, por exemplo) eram bem mais impactantes.”

Por fim, Aguinaldo confessou que as novelas da sua vida são ‘Tieta’ da sua autoria e ‘Dancing Days’ de Gilberto Braga. A sua musa é sem dúvida Suzana Vieira, para quem reserva sempre um papel nas suas novelas (e também adora Renata Sorrah). O seu actor-fetiche é Lima Duarte.

Quanto ao actor português favorito: “Há um actor que me impressionou muito numa novela da SIC chamada ‘Vingança’, que é o Paulo Rocha. Ele fazia de vilão. Eu acho-o um excelente actor de televisão. Não grita, não exagera. Fiquei fascinado.” E a actriz portuguesa:”É mais complicado. Há muitas meninas e senhoras interessantes, mas eu acho que as senhoras, no geral, não se envolvem na história. Elas fazem o seu papel, muitas vezes fazem bem, mas falta uma entrega mais total. Mas há uma menina também de ‘Vingança’, Filomena Cautela, que achei interessantíssima.”

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close