Famosos

Maria do Céu Guerra critica escolha de Paulo Futre para dobragem do filme «Hotel Transilvânia»

A atriz e diretora do teatro A Barraca criticou a escolha de Paulo Futre para a dobragem do filme Hotel Transilvânia, que chegou ontem às salas portuguesas.

Maria do Céu Guerra considera como «insultuosa» a escolha do antigo jogador de futebol para uma área que pertence a atores profissionais.

Numa mensagem deixada no Facebook e citada pela edição desta quinta-feira do Diário de Notícias a atriz referiu que « Num País onde os actores profissionais precisam de contratos e de trabalho, qualquer pessoa que se notabilize em qualquer área pode substitui-los num trabalho que eles sabem fazer, que estudaram e se treinaram para isso, que é a sua área profissional».

Já Cláudia Cadima, colega de profissão e responsável pela escolha de Paulo Futre compreende as declarações de Maria do Céu Guerra, mas refere que «se Futre não fizesse bem o trabalho seria a primeira a dizer que ele não servia», refutando ainda que esta escolha «não foi um crime».

[youtube = http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=IkwkGQwh77w#! ]

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close